Avançar para o conteúdo principal

O Bullying das Orelhas

O rapaz está traumatizado, não vai à escola, porque lhe gozaram com as orelhas na televisão. Ok, foi mau, mas o programa é péssimo, sempre gozou com as pessoas. Ou porque não cantam bem, ou porque têm voz esganiçada, ou porque lhes apetece. O programa serve para isso, senão não passavam as imagens das audições e faziam-nas antes do programa vir para o ar e usavam-nas como forma de triagem dos concorrentes, não os ridicularizando em público.
O programa é mau, é insuportável, e vive de gozar com as pessoas, alimentando-se do escárnio aos concorrentes que já sabem de antemão que, ou são escolhidos, ou são gozados, ou são escolhidos e gozados e, às vezes, desrespeitados e muito mal-tratados.

A culpa do miúdo ter ficado traumatizado é do programa? É, porque é uma merda.
A culpa do miúdo ter ficado traumatizado é dos pais do miúdo? É, porque o deixaram concorrer a um programa de merda.

O que me admira é que só agora, depois de gozarem com as orelhas de um puto, perceberem que o programa não presta. 

Vá lá, antes tarde que nunca.

DAQUI

Comentários

  1. Concordo plenamente.
    1º a culpa é dos pais porque o deixaram ir ao programa
    2º da edição do programa, que é uma bosta (sorry)
    3º dos pais, que devem querer algum dinheiro à conta do filho, pois se estivessem estado calados, a coisa passava despercebida.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

O Pintas

Estudei Gestão Equina numa terra no centro de Portugal.
A escola dividia-se entre uma antiga escola, no centro da aldeia, convertida em internato masculino e salas de aulas e uma herdade a uns setecentos ou oitocentos metros já quase fora da localidade.
Os alunos tinham aulas ora na escola, ora na herdade e seguiam geralmente a pé de um lado para o outro.
Um dia, o Pintas apareceu por lá (já não me lembro bem onde o encontrámos pela primeira vez), um cão talvez arraçado de dálmata, pois era branco com pintas negras.
Deram-lhe o nome de "Pintas", mas havia quem o chamasse de "Beethoven". Na verdade, podiam chamá-lo como quisessem que o cão reconhecia quando a conversa era com ele.
O Pintas fazia o caminho herdade/escola e escola/herdade vezes sem conta. Penso que a intenção era acompanhar os seus amigos preferidos no caminho que separava as duas instalações escolares... Seguia a nosso lado como se fosse mais um aluno. Deixava-nos na herdade e seguia de novo para a …