Avançar para o conteúdo principal

Nirvana In Utero, Please!

Ok, confesso que estou um pouco nervosa. Tentei armar-me em fortalhaça, mas não estou a conseguir dar conta do recado.
O miúdo mudou de escola e saltou, num abrir e fechar de olhos, de ciclo. Ainda ontem estava eu a chorar nas escadas da creche por largar o meu piolhinho de quatro meses nas mãos de estranhas e hoje voltei a largá-lo numa escola enorme, com miúdos enormes (alguns já com barba e tudo) nas mãos de... de... DELE PRÓPRIO! Isto é assustador! Como é que ele foi capaz de crescer tão rápido, sem esperar que eu estivesse preparada? Como é que ele, assim de repente, foi capaz de ir para o segundo ciclo e passar a calçar o número quarenta e um sem sequer me avisar ou pedir autorização? O sacaninha do miúdo até já compra senhas para os almoços na cantina e tudo!

Expliquem lá, mães experientes, como é que se gerem estes medos, medos não, pavores, sem que nos colemos às costas dos filhos tal lapas às rochas? Sim, porque vê-los crescer é muito lindo e cheio de poesia, mas esta parte do abandono progressivo do ninho não tem piada nenhuma quando estamos no meio do ninho a vê-lo esvaziar-se! Porque nunca nos avisaram desta parte, hã?
Porque raio de carga de água há sempre o outro lado da questão? Aquele lado em que a beleza se esbate e em que começamos a ver tudo meio desfocado?
Fogo, pá, podiam fazer estas coisas à imagem do paraíso, onde tudo é belo e melodioso e em que as crianças crescem devagarinho e harmoniosamente sem atropelos e tropeções! E em que nós, mães apavoradas, podemos guardar os medos numa caixinha e curtir o crescimento dos rebentos em pleno nirvana!

Comentários

  1. Acreditas que o meu foi agora para o 2.º ano e estou sempre a pensar na passagem para o ciclo?! Pavor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ainda acredito mais que o meu vai ser terrível nesta fase, porque ele sempre foi muito fácil. Acho que vai dar uma reviravolta que eu até vou ficar meio abananada!
      Bjs

      Eliminar
  2. Um dia de cada vez, pois é todos os dias que aprendemos. Se eu pudesse, o meu tinha ficado bebezinho, assim com 6 ou 7 meses, para sempre. Agora está no 7ºano, ontem comprei-lhe sapatilhas nr. 44 (o pai calça 44/45) e sei que vai ser ainda mais difícil; difícil lidar com as nossas emoções, com as vontades dele, com o ritmo de vida que ele quer ter...sem lhe estar a impôr e recordar as regras cá de casa diariamente.
    Os nossos pais sobreviveram ao abandonar as saias da mãe, logo nós tb sobreviveremos. :) (Mas sim, custa muito).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nº 44???? Já pode dormir de pé, não?
      Claro que sobreviveremos, mas para isso teremos que mexer em muita coisa cá dentro, cabeça e coração. É tramado!
      ;)

      Eliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue