Avançar para o conteúdo principal

Estudar QB

Tenho uma guerra com o ATL que o meu filho frequenta: O tempo que ele dedica ao estudo!
Dizendo só isto, aparecerão vários pais e mães a dizer "oh, também eu! Grande novidade! Os miúdos não estudam nada nos ATL!". 

Só que o meu problema é ao contrário: eu quero que o meu filho estude MENOS no ATL. Ou seja, eu quero que o meu filho apenas faça os TPC no ATL! Nada mais, nada menos, apenas os TPC.
Sou estranha, maluca, whatever... Mas, por favor, deixem lá a minha criança em paz, que ela não precisa de estudar mais, ok?
Desnaturada? Chamem-me o que quiserem, mas fiz um "acordo" com o meu filho e quero continuar a cumpri-lo enquanto ele cumprir a parte dele. Certo? Pode ser? Deixam-me?
Será que as educadoras do ATL podem deixar de lhe receitar cópias e porcarias dessas para ele fazer? Fazem esse favor aqui à je

Eu não quero ter um filho com uma letra lindíssima! Eu não faço questão que o meu filho tenha 100% em todos os testes! Eu não quero que ele coleccione diplomas de mérito ou honra ou do raio-que-os-parta-a-todos! Até porque não os emolduramos, nem os penduramos na parede...

Eu só quero que ele continue a gostar de aprender, a ter curiosidade para explorar novos temas e matérias, a sentir que a escola ainda tem coisas boas para lhe proporcionar e quero, especialmente, que ele viva para além da escola! Só isto! Será assim tão difícil de entender?

(Prometo que quando ele começar a baixar as notas, ele estudará mais, ok? Satisfeitas assim, senhoras educadoras?)

Comentários

  1. É tão mais fácil tê-los sossegados a fazer cópias não é? Enfim...não desistas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem querer ser mázinha, acho que é mesmo isso! :(

      Eliminar
  2. Ainda ontem tive um pequeno desentendimento com a educadora do meu filho. Insistiu que não tem geometria e que os desenhos dele não têm pormenores. Que o tinhamos de ajudar em casa no fim-de-semana. Depois de dizer-lhe pela milionésima vez que fazemos bastantes actividades diferentes e que o fm-de-semana é para a familia e que apenas tem 4 anos, terminei a conversa a dizer-lhe: "deixe estar, ele vai para direito"!
    Não há paciencia para estas pessoas. Há mais vida para além dos estudos, bolas!

    ResponderEliminar
  3. As pessoas andam obcecadas com o sucesso escolar... É um exagero! Já não se podem aturar!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Anita no Facebook

O Facebook anda a fazer-me mal. O chato é que preciso daquilo como ferramenta de trabalho e acaba por ser difícil desligar de vez ou até fazer um intervalinho com fins terapêuticos.
Ultimamente, ando tão farta de por ali andar que já tudo me parece os livros da Anita.
Antes do Verão: Anita corre quilómetros para caber no biquíni
Em férias:  Anita mete o pezinho na areia e o nariz no mar
Em dias de sol: Anita vai à esplanada com as amigas e diverte-se a potes
No fim das férias:  Anita volta para o trabalho chateadíssima, mas, pronto, a vida é assim e tem que trabalhar
À hora das refeições:  Anita cozinha um delicioso jantar cheio de super-alimentos e de baixas calorias ou  Anita vai almoçar a um sítio todo fashion, come imenso marisco e bebe sangria de champagne
Tarde de sábado:  Anita vai a uma exposição qualquer interessantíssima ou Anita sai à rua e vê as pessoas a passar
Sábado à noite:  Anita dança e bebe gin 
Tarde de domingo:  Anita vê um filme com a família ou Anita tem umas flores lindas…

Ler e escrever

Há uma candura e uma vontade de regressar à infância de quem lê e escreve. Ler, e escrever, vai para lá do que é o real. Leva-nos para um mundo imaginário, conduzido por quem escreve, mas só nosso, tão pessoal. Talvez por isso, ler e escrever sejam estreitos encontros com a solidão...

Quando se lê um livro, mergulha-se numa dimensão à parte. Trilha-se um caminho de ficção e trilha-se outro que só existe no nosso interior. Percorrem-se as dúvidas e as certezas, os sonhos e a realidade, como se fossem sempre tão próximos. Parte-se da fantasia para a existência, sem nunca se sair completamente de dentro de nós.
Ler, e escrever, é uma viagem ao tempo em que a imaginação nos comandava as emoções. É explorar o quarto escuro que nos apavorava ou os jardins que nos deslumbravam. É ir, e não voltar, aos lugares onde nos sentíamos sós e incompletos, mas ao mesmo tempo cheios de desconhecimento, inocência e ilusão.
Ler, e escrever, é um exercício egoísta, em que não cabe lá mais ninguém para além d…