Avançar para o conteúdo principal

Boca Surda

Esta coisa de se dizerem as palavras certas não encaixa em mim. 
Tento ser assertiva. Não ofender, não desprezar, não magoar, mas normalmente não consigo. Saem-me os pensamentos em rajadas sem que consiga travá-los a tempo. 
E esta fúria que me obriga a pensar com a boca. Esta indignação perante os absurdos da vida, e dos outros. E o cérebro a ordenar à boca que se cale. E a boca surda. 
Confundem-se-me as funções e falo com a cabeça, depois de pensar com a boca. E o cérebro grita. E a boca surda. Raios, que se me desorganiza tudo! E as caras fecham-se. E a boca cega e surda.

Arre!

Comentários

Mensagens populares deste blogue