Avançar para o conteúdo principal

Christine - O Carro Assassino

Como é que um país com um sorteio organizado pelas Finanças chamado "Factura da Sorte" pode ter credibilidade?
Que país é este, cujo governo incentiva a fiscalização cidadão-a-cidadão?

Um país que promove a tributação entre cidadãos ofertando-lhes presentes é um país corrupto que corrompe o próprio povo com o intuito de encher os cofres do Estado, e gastando dinheiro do Estado para oferecer presentes a quem se deixar corromper mais. 
Como podemos acreditar que pagamos impostos para financiar um Estado Social que nos proporcionará saúde e educação se o dinheiro que nos roubam dos salários vai para a compra de carros de "gama elevada", que a AT vai ofertar a quem obrigar outros a pagar-lhe mais, em vez de o injectar nas escolas e nos hospitais públicos? 
Como podemos acreditar em quem se deixa levar por sorteios da "factura da sorte"?
Como podemos permitir que a "economia paralela" que é o próprio governo, nos venha falar em "combater a economia paralela e a evasão fiscal" se é ele quem mais alimenta quem foge aos impostos quando financia negociatas "público-privadas" e swaps e outras merdas dessas?

Pensam que somos estúpidos, ou quê?
Ai das Finanças, se ousar sortear-me a merda de uma banheira topo de gama! Enfio-lha pelas ventas acima que é um instante! Quero lá saber de carros e porcarias dessas, ainda por cima "topo de gama"! Isso serve para quê, hã? Come-se? Trata-me o cancro se ele voltar? Dá-me trabalho se eu ficar no desemprego? Subsidia os estudos do meu filho até ele os acabar?
Porque é isto que eu quero do Estado! É isto que eu exijo do Estado! Quanto aos carros, deixem lá isso, que se eu quiser e tiver possibilidade, eu trato disso, ok? E escolho o modelo e a cor, já agora...

Não me lixem, que lixada já eu ando com esta porcaria toda! 
Aviso já, que facturas só peço as de educação e saúde que são as que devem deduzir o IRS. E deviam deduzir bem mais do que deduzem! O resto é areia para os olhos!
Por que raio de carga de água as minhas idas ao cabeleireiro devem deduzir o meu IRS, hã? Ou os jantares nos restaurantes? Mas o que é que a AT tem a ver com os sítios onde eu vou arranjar o cabelo ou jantar ou dormir ou o raio que a parta?

Além disso, eu quero lá saber se o Zé do café paga impostos ou não, se ele nem tem dinheiro para dar de comer à criançada! Agora das grandes empresas público-privadas, e outras que tais, onde o governo injecta o meu dinheiro, e o de todos os outros totós caça-facturas que andam por aí, já quero saber, ah pois quero! Porque esses sim, vivem à custa das facturas que eu obrigaria o Zé do café a passar. Esses sim, engordam à custa da fome dos filhos do Zé do café! Esses sim, devoram-nos a educação e a saúde! Esses sim, podem pagar estes e mais impostos!

E, já agora, gostava de saber quem é que vai fornecer as Christines à AT...
Só naquela...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Estamos a matar a infância das nossas crianças!

Se há cerca de vinte, trinta anos, não se sabia tanto quanto se sabe hoje sobre pedagogia, psicologia ou educação, actualmente este conhecimento é muito mais vasto. Tão vasto que tendemos a instrumentalizar a forma como educamos as nossas crianças.

Olhamos para os nosso filhos e vemo-los como projectos pessoais. Queremos que sejam os melhores e sempre melhores que eles próprios, que estejam sempre a evoluir para que sejam bem sucedidos na vida. É normal, porque independentemente das nossas crenças, queremos o melhor para eles, porque os amamos. Mas esta forma de amar e de os tentar conduzir para o sucesso está a matar-lhes a infância. 
Não são poucas as vezes que ouvimos coisas do género:  "Quero que o Rui seja um óptimo engenheiro";  "Estou a fazer tudo para que a Ana seja a melhor professora que já leccionou";  "O que mais quero é que o André vença no mundo do trabalho como o melhor designer gráfico".
Também dizemos que A ou B tem que frequentar determi…