Avançar para o conteúdo principal

Dêem-me a Vossa Opinião, Por Favor!

Ando a experimentar o Blog do Sapo e gostava que me dissessem o que acham do visual deste blogue por lá: 

Se sentem que já não é o mesmo ou se está ainda melhor (ah ah ah, como se isso fosse possível!); se se identificam mais com o azul cueca de lá ou com o vermelho sangue de cá; se gostam mais do Sapo, porque, sei lá, vos apetece, ou do Blogger, pela mesmíssima razão, etc., etc., etc...

Cliquem AQUI, please! Vejam bem todos os cantos e recantos, com olho clínico e, chutem opiniões p'ráí!

Merci! Thanks! Danke! Obrigadô!

Comentários

  1. Bom, então aqui vai uma opinião: gosto mais do outro visual. Quanto ao Sapo ou Blogger, só utilizei este último, por isso não posso acrescentar muito mais.

    ResponderEliminar
  2. Nunca utilizei o Sapo, mas este +arece mais teu, talvez por ser aqui que venho mais.
    Se te cansas do vermelho podes sempre mudar, nao saindo daqui :)

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, Genitrix!
    Também sinto este mais meu.
    Ando a ver se me decido...

    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Sinceramente acho os blogs no SAPO, em termos visuais, menos versáteis e menos apelativos. Mas isto pode ser só defeito de "fabrico" meu que estou habituada ao blogger desde sempre.

    Até prefiro o wordpress ao Sapo...

    ResponderEliminar
  5. Naná,
    Sim, o "blogger" é muto mais versátil. Até nos tipos de letra...
    Vou ver no que isto dá:
    Obrigada pela opinião!
    Bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Estamos a matar a infância das nossas crianças!

Se há cerca de vinte, trinta anos, não se sabia tanto quanto se sabe hoje sobre pedagogia, psicologia ou educação, actualmente este conhecimento é muito mais vasto. Tão vasto que tendemos a instrumentalizar a forma como educamos as nossas crianças.

Olhamos para os nosso filhos e vemo-los como projectos pessoais. Queremos que sejam os melhores e sempre melhores que eles próprios, que estejam sempre a evoluir para que sejam bem sucedidos na vida. É normal, porque independentemente das nossas crenças, queremos o melhor para eles, porque os amamos. Mas esta forma de amar e de os tentar conduzir para o sucesso está a matar-lhes a infância. 
Não são poucas as vezes que ouvimos coisas do género:  "Quero que o Rui seja um óptimo engenheiro";  "Estou a fazer tudo para que a Ana seja a melhor professora que já leccionou";  "O que mais quero é que o André vença no mundo do trabalho como o melhor designer gráfico".
Também dizemos que A ou B tem que frequentar determi…