Avançar para o conteúdo principal

Advertência às Minhas Mamas

Minhas queridas amigas,

Serve a presente para manifestar o meu descontentamento pelo V/ crescimento abrupto. Ou nem tão abrupto assim...
Pretendo, com esta missiva, adverte-las de que, por mais que cresçam, não me convencem a comprar soutiens de tamanho acima do habitual. Não compro, não compro, não compro!
Se quiserem andar confortavelzinhas aí dentro terão que caber aí dentro. De outra forma, sobrarão sempre pedaços de V. Exas. que abanarão e sobrarão para além dos limites dos soutiens que, como já Vos adverti, continuarão a ser do mesmo número e da mesma copa.
Podem gritar, abanar, ou deformar o contorno do meu peito, que me estou bem nas tintas. 
Devo informar-vos também que os soutiens de desporto continuarão a ser os meus favoritos e que, por mais que se estiquem, nunca conseguirão daí sair.
Deste modo, ficar-vos-ia encarecidamente agradecida se colaborassem nesta minha cruzada diária que é vestir camisolas por onde V. Exas. não apareçam como uns aliens aprisionados em busca de liberdade.

Grata pela atenção dispensada.

Os melhores cumprimentos 

desta V/ portadora

Comentários

  1. Ahahahah mamas rebeldes ? Eu acho que tu és a culpada...


    Beijoca grande

    ResponderEliminar
  2. Pronto não és a unica culpada... mas posso estar a divagar :) estará a caminho alguém para fazer companhia ao J ?

    Beijoca

    ResponderEliminar
  3. Oh não, nem pensar!
    O J. está muito bem sozinho!
    As minhas mamas é que agora andam numa de quererem a emancipação!
    As sacanas...
    :)))
    Bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Anita no Facebook

O Facebook anda a fazer-me mal. O chato é que preciso daquilo como ferramenta de trabalho e acaba por ser difícil desligar de vez ou até fazer um intervalinho com fins terapêuticos.
Ultimamente, ando tão farta de por ali andar que já tudo me parece os livros da Anita.
Antes do Verão: Anita corre quilómetros para caber no biquíni
Em férias:  Anita mete o pezinho na areia e o nariz no mar
Em dias de sol: Anita vai à esplanada com as amigas e diverte-se a potes
No fim das férias:  Anita volta para o trabalho chateadíssima, mas, pronto, a vida é assim e tem que trabalhar
À hora das refeições:  Anita cozinha um delicioso jantar cheio de super-alimentos e de baixas calorias ou  Anita vai almoçar a um sítio todo fashion, come imenso marisco e bebe sangria de champagne
Tarde de sábado:  Anita vai a uma exposição qualquer interessantíssima ou Anita sai à rua e vê as pessoas a passar
Sábado à noite:  Anita dança e bebe gin 
Tarde de domingo:  Anita vê um filme com a família ou Anita tem umas flores lindas…

Ler e escrever

Há uma candura e uma vontade de regressar à infância de quem lê e escreve. Ler, e escrever, vai para lá do que é o real. Leva-nos para um mundo imaginário, conduzido por quem escreve, mas só nosso, tão pessoal. Talvez por isso, ler e escrever sejam estreitos encontros com a solidão...

Quando se lê um livro, mergulha-se numa dimensão à parte. Trilha-se um caminho de ficção e trilha-se outro que só existe no nosso interior. Percorrem-se as dúvidas e as certezas, os sonhos e a realidade, como se fossem sempre tão próximos. Parte-se da fantasia para a existência, sem nunca se sair completamente de dentro de nós.
Ler, e escrever, é uma viagem ao tempo em que a imaginação nos comandava as emoções. É explorar o quarto escuro que nos apavorava ou os jardins que nos deslumbravam. É ir, e não voltar, aos lugares onde nos sentíamos sós e incompletos, mas ao mesmo tempo cheios de desconhecimento, inocência e ilusão.
Ler, e escrever, é um exercício egoísta, em que não cabe lá mais ninguém para além d…