Avançar para o conteúdo principal

Os CTT Blogosféricos Agradecem

Mais um selo... A Benedita mais linda da blogosfera, do blogue Aqui não pousam corvos, selou-me de novo! 
Desta vez, o selo é da Campanha de Incentivo à Leitura. Um bom incentivo portanto.



Vamos lá às regras?

1.ª Regra: indicar 10 blogues para passar o desafio. É proibido passar o "laço" a quem quiser levar, não nomeando blogues:
- Ok, se é proibido, eu não passo a quem quiser levar, simplesmente não passo a ninguém, pode ser? E nomeio 10 blogues. Não para lhes passar o selo, mas porque gosto deles e porque é proibido não nomear blogues. Podem sempre levar o selo, mas só se não o quiserem levar, pois se quiserem, não podem, porque é proibido, ok?

Deste modo, aqui estão eles:

  1. Beijinhos Embrulhados
  2. Felina (tramo-te sempre, não é Felina?)
  3. Sem medo de ser feliz
  4. Pseudoblog
  5. arrifanasea
  6. O Gelo também Quebra
  7. É só por Amor
  8. O meu livro de mágoas
  9. Jonasnuts
  10. Luz Sombria
2.ª Regra: avisar os blogues escolhidos e colocar a imagem no teu blogue para divulgar a campanha:
- Primeira fase da regra nº 2, não cumpro, porque sou indisciplinada (já vos tinha dito, não tinha?). Segunda fase da regra nº 2... cumprida (olhem lá para cima).

3.ª Regra: comentar o blogue que te indicou:
- Comentar o blogue da Benedita não é muito fácil. Posso dizer que é muito bom, que é um dos meus preferidos, que é dos que sigo há mais tempo, que tive saudades dela, quando fez um intervalo e acabou com o seu antigo blogue e... agora, vão lá vê-lo, ora! 

4.ª Regra: Responder à pergunta: Qual o livro que indicarias a uma pessoa para começar a ler? 
- Para começar a ler como? A alguém que nunca tivesse lido nada na vida? Indicaria os livros do Tio Patinhas, depois os do Tintin e os do Asterix. Mais tarde, quando já estivesse mais habituado, livros policiais com muito suspense. Depois romances vários, de qualquer espécie. Por fim, qualquer um do António Lobo Antunes.

Confesso que ainda não consegui ler nenhum romance do António Lobo Antunes, mas as crónicas já "papei" algumas, que foram uma delícia!
Hei-de lá chegar! 
Espero...

Comentários

  1. História Interminável & Fernão Capelo Gaivota :)

    ResponderEliminar
  2. Não li, mas ouvi falar bem! Um dia, lerei.
    ;)
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pelo selo!

    Quero e vou levar ;)

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pelas tuas palavras. És sempre uma querida comigo! :)
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  5. Naná,
    De nada!
    Mas olha, se o queres levar, não podes, é proibido!
    :)))
    Bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Anita no Facebook

O Facebook anda a fazer-me mal. O chato é que preciso daquilo como ferramenta de trabalho e acaba por ser difícil desligar de vez ou até fazer um intervalinho com fins terapêuticos.
Ultimamente, ando tão farta de por ali andar que já tudo me parece os livros da Anita.
Antes do Verão: Anita corre quilómetros para caber no biquíni
Em férias:  Anita mete o pezinho na areia e o nariz no mar
Em dias de sol: Anita vai à esplanada com as amigas e diverte-se a potes
No fim das férias:  Anita volta para o trabalho chateadíssima, mas, pronto, a vida é assim e tem que trabalhar
À hora das refeições:  Anita cozinha um delicioso jantar cheio de super-alimentos e de baixas calorias ou  Anita vai almoçar a um sítio todo fashion, come imenso marisco e bebe sangria de champagne
Tarde de sábado:  Anita vai a uma exposição qualquer interessantíssima ou Anita sai à rua e vê as pessoas a passar
Sábado à noite:  Anita dança e bebe gin 
Tarde de domingo:  Anita vê um filme com a família ou Anita tem umas flores lindas…

Ler e escrever

Há uma candura e uma vontade de regressar à infância de quem lê e escreve. Ler, e escrever, vai para lá do que é o real. Leva-nos para um mundo imaginário, conduzido por quem escreve, mas só nosso, tão pessoal. Talvez por isso, ler e escrever sejam estreitos encontros com a solidão...

Quando se lê um livro, mergulha-se numa dimensão à parte. Trilha-se um caminho de ficção e trilha-se outro que só existe no nosso interior. Percorrem-se as dúvidas e as certezas, os sonhos e a realidade, como se fossem sempre tão próximos. Parte-se da fantasia para a existência, sem nunca se sair completamente de dentro de nós.
Ler, e escrever, é uma viagem ao tempo em que a imaginação nos comandava as emoções. É explorar o quarto escuro que nos apavorava ou os jardins que nos deslumbravam. É ir, e não voltar, aos lugares onde nos sentíamos sós e incompletos, mas ao mesmo tempo cheios de desconhecimento, inocência e ilusão.
Ler, e escrever, é um exercício egoísta, em que não cabe lá mais ninguém para além d…