Avançar para o conteúdo principal

Keep Calm, o Cara%$&/(&/)(=)/%%&#%$(/!!!!

Chamem-me o que quiserem, mas não suporto esta história do keep calm!

Imagem da Net, claro!

Keep calm porquê? Porque não podemos ter "pêlo na venta"? Para que é que é preciso keep calm para fazer coisas tão estúpidas como comer bacon?
Talvez por ser serena por natureza, valorize mais quem ferve por dentro, e me irrite tanto este incitamento à calma, ou talvez porque relaciono sempre a calma à passividade... Não sei... 
Mas lá que me irrita, irrita, e não é pouco!

Comentários

  1. Também a mim!A minha filha passou a ter a mania de dizer para eu ficar calma quando falo um pouco mais alto, esqueceu-se que eu sempre fiz isso quando entro numa "discussão" que me interessa, fico muitíssimo empolgada e este empolamento não tem nada a ver com o estar "calma ou enervada"

    Abracinho meu!

    ResponderEliminar
  2. eu até acho piada, principalmente desde que comecei a fazer os meus:) lool, beijinhos...

    ResponderEliminar
  3. Maria Teresa,
    Eu também sou assim nas discussões que me empolgam e sou das pessoas mais calmas à face da Terra...
    Bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

O Pintas

Estudei Gestão Equina numa terra no centro de Portugal.
A escola dividia-se entre uma antiga escola, no centro da aldeia, convertida em internato masculino e salas de aulas e uma herdade a uns setecentos ou oitocentos metros já quase fora da localidade.
Os alunos tinham aulas ora na escola, ora na herdade e seguiam geralmente a pé de um lado para o outro.
Um dia, o Pintas apareceu por lá (já não me lembro bem onde o encontrámos pela primeira vez), um cão talvez arraçado de dálmata, pois era branco com pintas negras.
Deram-lhe o nome de "Pintas", mas havia quem o chamasse de "Beethoven". Na verdade, podiam chamá-lo como quisessem que o cão reconhecia quando a conversa era com ele.
O Pintas fazia o caminho herdade/escola e escola/herdade vezes sem conta. Penso que a intenção era acompanhar os seus amigos preferidos no caminho que separava as duas instalações escolares... Seguia a nosso lado como se fosse mais um aluno. Deixava-nos na herdade e seguia de novo para a …