Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2012

Virgindade à Venda

Parece que está na moda vender-se a virgindade.  Aqui, temos dois tontinhos que vendem a sua primeira vez a quem pagar mais.  Já conseguiram outros dois tontinhos que pagam caro para serem os primeiros. 
Estava aqui a pensar e fiquei na dúvida de quem é mais totó nesta história: se os tontinhos que põem à venda a virgindade, e apregoam aos sete ventos que não são prostitutos (como se alguém se preocupassem realmente com isso), porque é só uma vez; se os tontinhos que pagam uma pipa de massa para fazerem sexo com quem ainda não percebe nada da coisa...

Confesso que não consigo chegar a uma conclusão.

Tóni

António nasceu numa pequena aldeia perto de Elvas. Os seus pais tinham um pedaço de terra de onde tiravam o sustento de toda a família.  A contar com António eram oito a viver numa pequena casinha branca, rodeada de planície.
António frequentou a escola até à quarta classe.  Mal acabou o ano lectivo, começou a ajudar os pais a pastar as ovelhas, a tempo inteiro.
Levantava-se às cinco da manhã, pegava no canito ruivo e lá iam os dois, planície fora, seguidos por vinte ovelhas lãzudas. Ficava horas a ver as ovelhas pastarem. Sentava-se sempre no mesmo pedregulho, com o cajado na mão, a vê-las comer aquele pasto amarelo. Ao mesmo tempo, sonhava... Um dia, iria sair daquele Alentejo sem fim. Iria ser rico e poderoso, como o Ti Manel da casa grande, lá quase no fim da aldeia. Teria empregados para tudo e só bastaria mandar, que eles fariam tudo o que ele quisesse. Não precisaria de se levantar tão cedo, nem de andar a pastar aqueles novelos de lã com pernas.  António sonhava alto, tão alt…

Ásterix e Obélix

Fomos ver...

Mas não foi dos que mais gostei, talvez por ter visto a versão dobrada em português, talvez por não ser, na realidade, tão bom quanto os anteriores. Não sei! Só sei que me soube a pouco...

Alhos e Bugalhos

Tenho a mania da teoria da conspiração! Sim, é verdade, tenho! Está enraizada em mim, de tal forma, que não consigo separar alhos de bugalhos.  Para mim, os alhos e os bugalhos têm sempre uma qualquer ligação. Umas vezes, ela é directa, clara e aos olhos de todos, outras vezes, ela é camuflada e vive nas entrelinhas.
Hoje, li ESTA notícia e não consegui deixar de pensar que isto não passa de uma preparação da sociedade, e da opinião pública, para o que aí vem - O FIM DA ESCOLA PÚBLICA.
Contabilizar-se o custo para o Estado dos alunos da escola pública e compará-lo com o dos das escolas privadas, frisando que os da pública são mais caros, é manipular-se a opinião pública para que esta se torne oponente à existência das escolas mais caras! Por favor, não me venham com tretas, que é manipulação pura e dura! 
A alucinação geral, mais recente, é a poupança desenfreada nos gastos do Estado. Por isso, toda a gente está concentrada em encontrar áreas onde este pode poupar, para que não lhes …

Como Despolitizar uma Criança de Oito Anos?

O J. vai para a escola falar de política.
Hoje, pediu à professora para lhe perguntar quem eram os ministros: das Finanças; dos Negócios Estrangeiros; da Economia; o Presidente da República e o Primeiro-ministro.

Ela perguntou-lhe e ele respondeu: - Vitor Gaspar. Paulo Portas. Álvaro Santos Pereira. Cavaco Silva. Passos Coelho. Uma colega perguntou-lhe: - Como é que tu sabes isso tudo? - Sei! - respondeu orgulhoso.

- Os meus colegas nem sabem o que são as Finanças! - disse-me no carro, a caminho do supermercado, como se fosse uma enorme gaffe da parte dos colegas. - E tu sabes? - Sei. São os impostos. - Sim, mais ou menos... São os dinheiros do Estado.

Mas tamanha sabedoria também é invadida por dúvidas... Como esta: - E o Relvas, mãe? É Ministro de quê? - perguntou-me.  Disse-lhe que era Adjunto dos Assuntos Parlamentares.  - Adjunto? - achou pouco. - Sim, acho que é adjunto!

A cabecinha dele deve ter ficado a matutar naquilo...
"Como é que um ministro, de quem se fala tanto, é…

E Já Agora, Vejam Lá Isto...

A Estúpida Ideia Do Secretismo Da Informação

Trabalho neste país há 15 anos. 
Nestes 15 anos, saltitei por vários empregos, mas em todos eles encontrei um denominador comum: A ESTÚPIDA IDEIA DO SECRETISMO DA INFORMAÇÃO. Muitos trabalhadores guardam uma grande quantidade de informação só para si, retêm-na e não a partilham propositadamente para se sentirem em vantagem relativamente aos colegas. Têm medo de serem ultrapassados pelos outros. Pensam que se partilharem aquilo que sabem, os colegas vão singrar mais do que eles, vão ser promovidos e vão tornar-se mais importantes aos olhos dos chefes. E estancam a informação. De tal modo, que acabam por comprometer toda a dinâmica da empresa onde trabalham, porque esta passa a ser mais lenta, e cheia de defeitos e lacunas.
Normalmente, estes trabalhadores também não perguntam nada aos colegas. Fingem que sabem e que conseguem fazer tudo sozinhos. Porque são muito competentes. E são tão competentes que só fazem porcaria. E escondem a porcaria debaixo do tapete. Vão varrendo, diariamente…

Observação da Espécie

Faço um exercício, quase diário, que consiste em observar as pessoas sem as ouvir, e ouvi-las sem as ver. Gosto de ver as expressões faciais e os movimentos dos seus corpos e inventar as palavras que poderão estar a dizer. Gosto de tentar analisar / interpretar os sons que proferem, imaginando um contexto e ilustrando-o com semblantes.

Faço jogos sozinha, no silêncio da minha mente: Serás capaz de adivinhar do que estão a falar? Que sentimentos descrevem estes movimentos? O que é que aquela cara quererá dizer?

A entoação da voz é tão reveladora... O franzido da testa, a posição dos lábios, o nariz que se contorce e o olhar, oh o olhar, que pode dizer tanto ou tão pouco...

Faço o mesmo jogo comigo, ao espelho: O que queres dizer com esse olhar? Esses olhos muito abertos desejam devorar o mundo ou assustam-se com ele? Será que quem te vê, vê-te na realidade? E quem te ouve? Entende o significado subjacente das tuas palavras?


Gosto da clarividência da adivinhação; gosto de tornar o desc…

#8 Músicas Que Entranham

Jéferson

Jéferson saiu do Brasil há dois anos. Mineiro de origem, boiadeiro de profissão, deixou o seu país, família e arte para procurar uma vida melhor além-mar.
Jéferson é pai de cinco filhos. O mais velho tem 20 anos e a mais nova fez, no mês passado, 6. Casado com Araci, morena bonita do seu coração, com quem dividia uma pequenina casa, de duas assoalhadas, na fazenda do seu antigo patrão, fazia das tripas coração para sustentar, e arrumar naquela casa, os 5 filhos. Quatro dos filhos dormiam na sala. Dois na cama de ferro ferrugenta de corpo e meio e os outros dois no sofá. Daniela, a mais pequenina, partilhava a cama com os pais.
Araci trabalhava como criada na casa do patrão. Saía de casa antes do sol nascer e só voltava depois de ele se pôr. Tal como Jéferson. 
Depois de Araci tratar da arrumação do lar e dos filhos se deitarem, o casal juntava-se no alpendre de casa. Jéferson pegava no violão e tocava a banda sonora daquele amor, que tinha nascido com Araci a dançar  ao  som da músic…

#7 Músicas Que Entranham

Expliquem-me Lá Isto Como Se Eu Fosse Muito Loira, Se Fazem Favor!

- Quem é que está no governo? PSD e CDS/PP, não são?
- Quem é que esteve no governo, há pouquinho tempo, e fez a mer** que todos nós sabemos? PS, não foi?
- Quem é que nunca esteve no governo? CDU e BE, não foram?
- Isto está a porcaria que está, por causa de quem? Hã??? Não ouvi! Hã???
- E agora, digam-me lá, (que eu sou loira verdadeira e pintada, em simultâneo, e não percebo nada destas coisas) porque é que as intenções de voto são ESTAS?

Estamos num país nórdico, ou quê?!

Portugueses e o Dinheiro

Portugal divide-se por dois grandes grupos e dois pequenos grupos. Os dois grandes grupos são:  - O dos portugueses que têm orgulho em não ter dinheiro; - O dos portugueses que têm vergonha em não ter dinheiro.
O português-tipo do "grupo dos que têm orgulho em não ter dinheiro" exige tudo a todos os outros: ao Estado, ao pai, à mãe, ao primo afastado que está emigrado na Suíça, ao vizinho do lado, ao cão, ao periquito... Verbaliza: "se eu não tenho dinheiro, quem tem é obrigado a sustentar-me"; "eu tenho direitos!" (e obrigações, não?).
Esta conversa pode parecer-vos um pouco "fascistolas", mas não é! Longe de mim querer, sequer, aproximar-me de tal ideologia!
Eu explico para evitar equívocos:
É por tanta gente exigir direitos, sem nada fazer para os merecer, que a divisão da riqueza é tão deficiente neste país. É por existir gente que se abotoa e se "encosta à sombra da bananeira" que quem realmente precisa fica em carência. É por ex…

#6 Músicas Que Entranham

O Fósforo

Hoje, decidi dar para as mãos do meu filho uma caixa de fósforos. Tirei um fósforo e demonstrei-lhe como se acendia.  Disse-lhe: - Agora tu. Acende! - Como, mãe? - Pegas na caixa assim... e acendes assim! Raspei o fósforo na lixa da caixa e fez-se luz, o fósforo acendeu. - Wow! - disse ele afastando-se. - Vá, toma. Agora acende tu! Agarrou na caixa a medo e perguntou: - Mãe, como se pega na caixa? É assim? - É!  - E agora? - Passas o fósforo aqui e acendes! - Não consigo! Tenho medo! - Não precisas de ter medo! Achas que se fosse muito perigoso, eu estava a dizer-te para fazeres isso? Tens é que passar o fósforo no sentido contrário ao teu corpo. Assim, para fora! E só o fazes quando eu estiver ao pé de ti! - Ok! Mas não sei se vou conseguir... Isto não é só quando eu tiver 10 anos? - Não, já podes acender um fósforo agora. Já estás grande! Tentou várias vezes sem sucesso. Foi para o pé do lava-loiças e perguntou: - É aqui que se faz? - Sim, aí é bom, mas não precisas de ir para aí, …

Vou Contar-vos Um Segredo #2

Tenho por hábito escrever rascunhos de mensagens no telemóvel com os temas que pretendo escrever aqui. Também tenho por hábito usar o telemóvel como despertador.
No outro dia, meia a dormir, agarro no telefone para desligar o sacana do despertador... E sabem o que faço?
Envio uma mensagem com um desses temas, já bem desenvolvido, para o ex-infantário do meu filho!


A minha sorte, é que era sobre religião, não tinha palavrões nem indecências.
Ai Tancinha, Tancinha...

(E foram 3 segredos, em vez de um. Hoje, estou generosa!)

- E o Estatuto Do Aluno?

Vou Contar-vos Um Segredo (Nova Rubrica Aqui Do Cantinho Mais Lindo da Blogosfera, Ah Ah Ah)

Quando eu era menina de uns 17 anitos, p'rá aí, um amigo chamava-me Tancinha.  Sabem porquê?  Por ser grande e desajeitada.  Desajeitada ainda sou, grande é que já nem tanto!


Ups, era ao contrário...  Que desajeitada!!!!

Imagem da Net, claro!

Papagaios

Já vos disse que não lido muito bem com CARNEIROS, mas ainda não vos falei de quanto me irritam os papagaios...
Papaguear qualquer coisa sem lhe dar um cunho pessoal é monótono, triste, chaaaaato! No entanto, esta técnica, de papaguear, é muito utilizada por comerciais e, especialmente, por comerciais do telemarketing. Vá-se lá saber porquê... Quando este pessoal me telefona, geralmente, "mando-os dar uma curva" respondendo-lhes uns "porque não quero" aqui e uns "hum hum" ali. Às vezes, digo-lhes que não sou eu e que só chegarei a casa muito tarde para que não me voltem a ligar.
Desenvolvi-lhes uma alergia terrível!
Acreditem ou não, hoje ligaram-me do Círculo de Leitores e, não era um papagaio! Era uma pessoa real! Dá para acreditar?
Essa pessoa foi capaz de adaptar a publicidade, que era obrigada a fazer, ao seu próprio discurso: gaguejou algumas vezes; hesitou; foi simpática; teve-me em consideração; não me quis impingir nada, nem manipular. Estranho,…

Cumprimentos

Se há coisa que me deixa fula é, certos homens, cumprimentarem-me as mamocas em vez de me cumprimentarem a mim...
Ando seriamente a pensar em passar a cumprimentar-lhes os genitais com ar reprovador... só para ver se conseguem manter o sorrisinho estúpido estampado na cara!

#5 Músicas Que Entranham