Avançar para o conteúdo principal

Sombra

Imagem retirada DAQUI

Ando, muitas vezes, vezes demais, com a sombra à minha frente. Persigo-a numa viagem sem fim, ou com o fim errado. Ela diz-me sempre, ou quase sempre, " não é por aí o caminho!" e insiste "volta para trás, tens que seguir em direcção ao sol". Ignoro-a. Finjo não a ouvir e continuo em frente, numa quase abstracção consciente. Penso "é a minha obrigação, tem que ser!". 
Voltar para trás, assim em direcção ao sol, sem saber o caminho certo a seguir, parece-me loucura, loucura talvez mais sadia do que a abstracção consciente a que me prendo, mas mesmo assim loucura...

Todos os dias, persigo a minha sombra. Não deveria ser ela a perseguir-me? Sou quase sombra da minha própria sombra... Penso "o que é estou aqui a fazer?", "para onde me levam estas passadas?" e a resposta não é mais do que um longo e ruidoso silêncio...

Hei-de ouvir o que a sombra me diz... No dia em que me decidir a fazê-lo, inverterei a marcha e caminharei... Talvez de olhos um pouco franzidos, mas de frente para o sol!

Comentários

Mensagens populares deste blogue