Avançar para o conteúdo principal

O Sabonete de Morango do Pai

Em conversa pré-sono, falando das minhas picadas de melgas...

Eu- Tenho tanta comichão! Ai, ai, ai, como me alivia quando coço! Ufa, que alívio! Tu não tens mordidas nenhumas? No sábado, elas só me picaram a mim?
J.- Não, não tenho. Se calhar foi porque estava todo sujo...
Eu - Pois, e eu tinha tomado banhinho antes... Cheirava muito bem e elas desataram a morder-me...
J.- Eu estava cheio de pó e elas não queriam nada comigo...
Eu - Olha que deve ter sido mesmo por isso... Sabes que os cavalos se espojam no chão para ficarem cheios de pó e não serem picados pelos insectos?
J.- Não! Então foi por isso que não me picaram e picaram-te a ti, que cheiravas bem.
Eu - Sabias que há uns tempos atrás, o pai.....
J.- Sim, eu sei, ele usava um sabonete que cheirava a morango e as melgas picavam-no todo!
Eu- Raios, estou a ficar velha... Já estou sempre a contar as mesmas histórias!
J.- Ah ah ah ah!!! Pois estás!
Eu - Ai estou? 
J.- Estás! Ah ah ah ah!!!
Eu - Mas, olha, sabias que o pai, há uns tempos atrás...
J.- Ah ah ah ah!!! 
... ... ... ...
J.- Mãe, mãe, sabes uma coisa? Sabias que o pai, há uns anos atrás, usava um sabonete que cheirava...
Eu - Bem, mas também estás a ficar velho, ó quê? És muito novo para isso!
J.- Ah ah ah ah!!! Sim, estou!
Eu - Bem... mas agora a sério, esta história tu não conheces. Há uns tempos atrás, o pai usava um sabonete que....
J.- Ah ah ah ah ah!!!!!

Ficámos nisto uns dez minutos, a rir como dois doidos!

Olhem, mas depois de toda esta maluquice, não posso deixar de vos contar uma história muito engraçada... Sabem, o pai do J., há uns anos atrás, usava um sabonete que...

Comentários

  1. :) Sabias que o pai do j. usava um sabonete... ahhh adorei e sabes? são este moemntos que nos fazem acreditar que a vida vale a pena e como é bom estar aqui para os viver. Bj**

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

O Pintas

Estudei Gestão Equina numa terra no centro de Portugal.
A escola dividia-se entre uma antiga escola, no centro da aldeia, convertida em internato masculino e salas de aulas e uma herdade a uns setecentos ou oitocentos metros já quase fora da localidade.
Os alunos tinham aulas ora na escola, ora na herdade e seguiam geralmente a pé de um lado para o outro.
Um dia, o Pintas apareceu por lá (já não me lembro bem onde o encontrámos pela primeira vez), um cão talvez arraçado de dálmata, pois era branco com pintas negras.
Deram-lhe o nome de "Pintas", mas havia quem o chamasse de "Beethoven". Na verdade, podiam chamá-lo como quisessem que o cão reconhecia quando a conversa era com ele.
O Pintas fazia o caminho herdade/escola e escola/herdade vezes sem conta. Penso que a intenção era acompanhar os seus amigos preferidos no caminho que separava as duas instalações escolares... Seguia a nosso lado como se fosse mais um aluno. Deixava-nos na herdade e seguia de novo para a …