Avançar para o conteúdo principal

Chuva

Sou mulher do Verão. Gosto do calor, de o sentir entrar-me pelos ossos adentro, de andar o mais despida possível, leve e com os músculos distendidos.
Detesto o frio. Fico encarquilhada, contraída, com demasiada roupa.

Mas a chuva seduz-me... Adoro andar à chuva, senti-la lavar-me a roupa, o corpo e a alma. 
Quando era pequena, perdia um guarda-chuva quase todas as semanas de Inverno e voltava para casa à chuva. Ficava encharcada, mas feliz. A sensação da roupa colada ao corpo, fazia sentir-me bem.

Tenho saudades de me molhar sem nem dó nem piedade, de enfrentar o caminho regada pelas lágrimas do céu, de pôr a língua de fora e bebê-las como se só elas pudessem matar-me a sede.
Tenho saudades de ter cabelo a pingar e de sujar a roupa na relva molhada, de me rebolar no chão, sem que alguém me olhe de esguelha ou me chame de louca. Tenho saudades dos pequenos prazeres que encostamos a um canto da nossa vida, porque crescemos e porque a idade adulta nos diz "já não tens idade para isso!".

Como eu gostava de tomar banho no mar em dias de chuva, sentir a água por todos os lados do meu corpo despido e mergulhar... Podia mergulhar no céu que se unia ao mar e no mar que me levava, a cada onda. Sentia-me limpa por dentro, como se a água entrasse no meu ser e o lavasse.

Tenho saudades da inocência e da ingenuidade de criança, tenho saudades da Vida verdadeira...

...e da Verdade da Vida.

Comentários

  1. chuva romantica é a que gostas , eu tb gosto dessa chuva que nso lembra a infancia que nos lava a alma , mas a chuva verdadeira é uma seca. eu sou mulher dos trópcos e como tal dor calor
    kis :=)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também sou do calor... Mas gosto da chuva!
      Provavelmente, viveria bem num país tropical! ;)
      Bjs

      Eliminar
  2. Pois eu sempre detestei andar à chuva, fosse ela como fosse... e ainda mais detesto ficar escorrendo-pingando tipo pinto... é coisa que me põe os nervos em franja, sinceramente!
    Nisso sinto-me como os gatos que não gostam de tomar banho...

    Mas lá que gosto de tomar banho de mar enquanto chove, lá isso adoro e também tenho saudades disso!

    ResponderEliminar
  3. Como eu me identifico com isto. Adoro banhar-me no mar com chuva... transcendente!

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Gosto muito como descreves pequenos prazeres, muitos parabéns tens mesmo jeito!
    Pessoalmente não gosto muito do verão, principalmente aqueles verões mesmo quentes, só me dificulta a vida. A primavera é sem duvida a minha estação favorita!!
    Bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! :)

      Eu também gosto da Primavera, mas o Verão...
      Beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Anita no Facebook

O Facebook anda a fazer-me mal. O chato é que preciso daquilo como ferramenta de trabalho e acaba por ser difícil desligar de vez ou até fazer um intervalinho com fins terapêuticos.
Ultimamente, ando tão farta de por ali andar que já tudo me parece os livros da Anita.
Antes do Verão: Anita corre quilómetros para caber no biquíni
Em férias:  Anita mete o pezinho na areia e o nariz no mar
Em dias de sol: Anita vai à esplanada com as amigas e diverte-se a potes
No fim das férias:  Anita volta para o trabalho chateadíssima, mas, pronto, a vida é assim e tem que trabalhar
À hora das refeições:  Anita cozinha um delicioso jantar cheio de super-alimentos e de baixas calorias ou  Anita vai almoçar a um sítio todo fashion, come imenso marisco e bebe sangria de champagne
Tarde de sábado:  Anita vai a uma exposição qualquer interessantíssima ou Anita sai à rua e vê as pessoas a passar
Sábado à noite:  Anita dança e bebe gin 
Tarde de domingo:  Anita vê um filme com a família ou Anita tem umas flores lindas…

Ler e escrever

Há uma candura e uma vontade de regressar à infância de quem lê e escreve. Ler, e escrever, vai para lá do que é o real. Leva-nos para um mundo imaginário, conduzido por quem escreve, mas só nosso, tão pessoal. Talvez por isso, ler e escrever sejam estreitos encontros com a solidão...

Quando se lê um livro, mergulha-se numa dimensão à parte. Trilha-se um caminho de ficção e trilha-se outro que só existe no nosso interior. Percorrem-se as dúvidas e as certezas, os sonhos e a realidade, como se fossem sempre tão próximos. Parte-se da fantasia para a existência, sem nunca se sair completamente de dentro de nós.
Ler, e escrever, é uma viagem ao tempo em que a imaginação nos comandava as emoções. É explorar o quarto escuro que nos apavorava ou os jardins que nos deslumbravam. É ir, e não voltar, aos lugares onde nos sentíamos sós e incompletos, mas ao mesmo tempo cheios de desconhecimento, inocência e ilusão.
Ler, e escrever, é um exercício egoísta, em que não cabe lá mais ninguém para além d…