Avançar para o conteúdo principal

Tenho Um Menino Que Come Livros!


O meu menino, tal como o da história, come livros.
Todas as semanas, vai à biblioteca da escola e traz livros para ler. Lê-os a uma velocidade vertiginosa. Cada semana que passa, lê-os mais rápido. Dois, três dias e está feito, livro lido! 

-Mãe, tens que ler este livro! É tão giro! Quando te fores deitar, lá para as tantas da noite como é teu costume, deitas-te aqui na tua caminha, acendes esta luzinha e lês este livro, ok? Vais ver como é giro!

O miúdo está a ficar viciado! Aproveita os intervalos das aulas para ler, quando tem que ficar sentado na sanita e não pode estar a jogar ou a ver jogos de basquete, está a ler; sempre que vamos a um centro comercial, é nas livrarias que nos perdemos, cada um para seu lado às voltas com livros e mais livros; antes de dormir, há quase sempre uma qualquer história para ler...
Até já tem autores preferidos: Alice Vieira e os seus livros dos cheiros, já os papou todos; de Luísa Ducla Soares, também já marcharam uns tantos; de José Jorge Letria, ainda não houve nenhum que lhe provocasse uma indigestão. 

Pergunto-me qual será o próximo...

Livro atrás de livro, descoberta atrás de descoberta, lá vai acumulando conhecimentos, sonhos e fantasias, e partilha-os comigo, que também sou fã de livros infantis e me revejo no seu entusiasmo e sinto, cada vez mais, que a maravilha e a imensidão de se ser mãe estão na partilha e no acompanhamento das descobertas da vida, mais do que em qualquer outra vertente da maternidade.

Comentários

  1. Isso é mesmo bom para ele... a leitura torna-o mais atento, mais curioso, mais inteligente. ;)

    ResponderEliminar
  2. Que bom ele ser assim ... vai viver muitas vidas, vai viajar muito, vai sentir diferentes emoções,...
    Eu fazia algo de semelhante e ao ler este seu testemunho recordei o meu "rabo gelado" por estar horas sentada na sanita da casa de banho (tinha a janela mesmo por trás):):):)
    Abracinho meu!

    ResponderEliminar
  3. O meu ainda não sabe ler, mas poe se com os livros a inventar historias...
    Todas as noites tenho que ler uma historia...

    É bom para eles,
    Bjstos

    ResponderEliminar
  4. Então mãe que maravilha...
    Visitando ,já estou a seguir,
    Bom fim de semana e linda sexta-feira,
    beijos de luz

    ResponderEliminar
  5. Só lhe faz bem, e um menino na idade dele...é um miúdo muito interessante este teu filhote. Bj**

    ResponderEliminar
  6. Confesso que gosto desta obsessãozinha dele... Até porque a minha é bem parecida, tenho um fascínio especial por livros, especialmente os infantis...
    Não o massacro com o tema, mas acompanho-o na paixão, que penso ser mais saudável. Eh eh!

    Benvinda, Maria Selma! Sinta-se em casa! :)

    Beijinhos a todas

    ResponderEliminar
  7. Mammy, podia assinar por baixo, o meu adora! Eu adoro este gosto dele. :)

    ResponderEliminar
  8. Se algum dia tiver filhos também gostava muito que eles desenvolvessem o gosto pela leitura.
    Aconselho Roald Dahl é muito criativo este senhor. Os seus livros mais conhecidos são: Charlie e a fábrica de chocolates e Matilda. Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Não conheço Roald Dahl, mas vou pesquisar!
    Conheço o filme "Charlie e a Fábrica de Chocolates" de nome, mas nunca o vi. Quanto a "Matilda" nem nunca ouvia falar. :)
    Obrigada pela sugestão!
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. nóssa gotei muito dessa hitóriA mais nao conheço nenhum desses Ecritores,mais vou persquisar!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Estamos a matar a infância das nossas crianças!

Se há cerca de vinte, trinta anos, não se sabia tanto quanto se sabe hoje sobre pedagogia, psicologia ou educação, actualmente este conhecimento é muito mais vasto. Tão vasto que tendemos a instrumentalizar a forma como educamos as nossas crianças.

Olhamos para os nosso filhos e vemo-los como projectos pessoais. Queremos que sejam os melhores e sempre melhores que eles próprios, que estejam sempre a evoluir para que sejam bem sucedidos na vida. É normal, porque independentemente das nossas crenças, queremos o melhor para eles, porque os amamos. Mas esta forma de amar e de os tentar conduzir para o sucesso está a matar-lhes a infância. 
Não são poucas as vezes que ouvimos coisas do género:  "Quero que o Rui seja um óptimo engenheiro";  "Estou a fazer tudo para que a Ana seja a melhor professora que já leccionou";  "O que mais quero é que o André vença no mundo do trabalho como o melhor designer gráfico".
Também dizemos que A ou B tem que frequentar determi…