Avançar para o conteúdo principal

A Malinha

Imagem retirada da Internet 

Ao contrário do mais comum dos mortais, o meu filho não precisa de ar para respirar, em vez de ar, ele respira basquetebol por todos os poros.

Ele sabe os nomes das estrelas da NBA antigas e actuais, os nomes dos clubes, o ano em que o Michael Jordan deixou de jogar, encesta com uma bola imaginária a cada cinco minutos, saltita entre o cesto e a bola minúscula que tem no quarto, o jogo da NBA da Playstation e os jogos de basquetebol que dão na televisão e no tempo livre que lhe resta, tem treinos, jogos e pede-nos para irmos com ele a um cesto que há na rua, aqui perto de casa.
Tirem-lhe o basquete e ele fica em hiperventilação.

Tem o seu futuro meticulosamente programado. Vai jogar na NBA quando tiver exactamente 21 anos. Para isso, vai primeiro estudar para a universidade de Alabama nos EUA, a fim de ser seleccionado como jogador dos Miami Heat na NBA.
Tudo muito bem pensado e fácil, fácil de se realizar...

Expôs-nos este seu projecto de vida com a simplicidade com que só uma criança de 7 anos pode ver a vida.
Começámos a fazer-lhe perguntas para vermos até onde ia a sua determinação...
-Como vais falar com os teus colegas de equipa nos EUA? Não sabes falar inglês...
-Mas estou a aprender. Já posso falar com eles sobre o tempo. It's sunny! Vês?
-E quando nos vens visitar? Vais ficar lá muito tempo...
-Eu venho cá em Outubro, na altura do Halloween, para não estar lá a ver aquela gente toda mascarada de monstros.
-Só nos vamos ver uma vez por ano?
-Sim, porque depois eu vou ter jogos e não posso vir cá.
-E como vais estudar para os EUA? Não temos dinheiro para isso...
-Levo a malinha!
-Qual malinha?
-Aquela malinha das notas!
Comecei a fazer uma busca mental de todas as malinhas dele, sem descobrir nenhuma que tivesse notas...
-Qual malinha das notas?
-Aquela das boas notas! Vou estudar muito para ter uma malinha cheia de boas notas!
-Ah! Estás a falar de uma bolsa de estudo?
-Sim! É isso!
-Para teres uma bolsa de estudo, vais ter que trabalhar muito...
-Eu sei e vou trabalhar... Até podia tirar cá um curso antes, de jornalista, por exemplo. Quanto tempo demora esse curso?
-Três ou quatro anos.
-Então não dá! Eu vou para a NBA aos 21 e antes tenho que estudar lá na universidade. Olha, não tiro o curso para ser jornalista.

Ficámos sem argumentos...

Comentários

  1. isso é que é um rapaz determinado! quem sabe um dia...

    ResponderEliminar
  2. determinação não lhe falta
    kis :=)

    ResponderEliminar
  3. Clap, clap, clap :) O teu é, decididamente, mais maturo do que o meu, que ainda só pensa em beyblades e afins.
    Deixa-o voar :)

    ResponderEliminar
  4. Bemmm as crianças têm uma determinação e vontade sonhar :) Espero mesmo que esse grande sonho dele se torne realidade, mas se ele continuar com essa determinação toda com certeza vai conseguir :)

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. Uau! Espero sinceramente que esse sonho se concretize!

    ResponderEliminar
  6. Olá, vim aqui parar por andar a cuscar blogs que outros visitam e rendi-me a este post.
    Amei :)
    Tenho uma filha que vai fazer um ano depois de amanhã, ainda não tenho perolas destas, um dia talvez, mas com este planeamento dodo..... vá lá vai lolll

    ResponderEliminar
  7. Tanita,
    Quem sabe, quem sabe...
    Bjs

    Avogi,
    Não falta não!
    Bjs

    Teresa,
    Eh eh eh!!!!
    Bjs

    Pseudo,
    Deixa-o pensar em Beyblades enquanto pode! O meu, às vezes é maduro demais, precisava ser um bocadinho mais criança.
    Bjs

    Pretty,
    Também eu espero...Com tanta determinação, imagina a desilusão se ele não conseguir o que quer.
    Bjs

    Paula,
    Eu também!
    Bjs

    Sara*,
    Benvinda aqui ao cantinho!
    Não perdes por esperar, acredita! Quando eles começam, nunca mais param! Lol
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Ao menos é ambicioso e consciente. :D

    ResponderEliminar
  9. Que engraçado! Eles têm cada uma. Dei com o teu blog por acaso, o Afonso acabou de entrar na idade dos porquês, e eu andava a ver na net em que idade era. Ele tem dois anos e meio.

    Passa pelo nosso limão está a decorrer um passatempo http://primeirolimao.blogspot.com/ ;)

    ResponderEliminar
  10. Que engraçado! Eles têm cada uma. Dei com o teu blog por acaso, o Afonso acabou de entrar na fase dos porquês e eu andava na Net a procurar em que idade era, ele tem dois anos e meio.

    Convido-te a passar no nosso Limão http://primeirolimao.blogspot.com/ está a decorrer um passatempo ;).

    ResponderEliminar
  11. Vanessa,
    Obrigada pelo convite e passarei por lá sim!
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. LOLOLOL muito bom!!! Acho que deves guardar estas histórias para lhe mostrar quando ele for maior.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Macacos do Nariz

O J. voltou a perguntar qual era o verdadeiro nome dos macacos do nariz e, uma vez mais, não lhe soubemos responder.
O pai tentou: -Detritos nasais!
Eu tentei: -Fluídos nasais secos!
As nossas tentativas não satisfizeram nenhum de nós três ...  O J. diz: -Temos que perguntar à Drª, como ela é médica deve saber ...
Fiquei a pensar onde poderia encontrar a resposta a esta questão sem ter que perguntar à médica ... 
Consultei a enciclopédia, o dicionário, procurei na net e ... nada, nem a mais pequena referência à designação científica para macacos do nariz ...

Confesso que nunca me tinha passado pela cabeça que os macacos do nariz tinham outro nome ...

As coisas em que este miúdo me põe a pensar ...

Este blogue vai descansar uns diazinhos, mas volta, com a maior brevidade possível!


Grito

Há meses que não escrevo uma palavra. Quase como se estivesse de abstinência ou a fazer uma cura de desintoxicação.

Às vezes tenho ressacas. Dói-me o corpo e os dedos, sinto a cabeça cheia de palavras e frases, numa urgência de saírem por mim afora. O peito aperta-se-me e sinto-me prestes a explodir. Mas, depois, nada. Segue-se um vazio imenso, como se estivesse prestes a gritar: enchesse o peito de ar, abrisse a boca e dela apenas saísse silêncio. Um grito mudo. Um grito que nunca chega a sê-lo. E como que para me inebriar, afundo-me nos livros dos outros, nas palavras dos outros. À espera de ali encontrar as minhas. As minhas palavras que sucumbem ao vazio, que se calam.

Tenho saciado a fome de palavras, devorando livros, uns atrás dos outros. Como o alcoólico que bebe água a fingir que é vinho ou o fumador que masca pastilhas para distrair o desejo do cigarro, eu alimento-me de livros, enganando a vontade de escrever.

Caminho para a recuperação devagarinho. Este texto pode ser o in…

Marcadores #6

- A Gabrielle é inocente, podes acreditar! Quando a conheceres vais ter vontade de a defender, vais ver – Cármen estava exausta, por isso Ana resolveu fazer uma pausa na conversa para a mãe descansar. Levantou-se e dirigiu-se à cozinha para ir buscar um copo de água. Quando voltou, abriu a gaveta da mesinha-de-cabeceira e tirou várias qualidades de comprimidos. Olhou para o papelinho que os acompanhava que descrevia as quantidades e horários e começou a separar os que pertenciam àquela hora. Juntou seis que Cármen teria de deglutir uns atrás dos outros. Passou-os um a um, para a mão da mãe, que os tentou empurrar garganta abaixo com a ajuda de doridos golos de água.             Cármen quebrou o silêncio para dizer que guardava cartas trocadas com Gabrielle no tempo em que a amiga trabalhou na Alemanha e que gostava que a filha as lesse. Era uma forma de conhecer Gabrielle, explicou. Apontou para uma caixinha de madeira que se encontrava sobre a cómoda debaixo da janela que continh…