Avançar para o conteúdo principal

Mãe, Eu Quero Pedir Para Desistir de Turma!

Ontem, o J. chegou a casa com lágrimas nos olhos e a repetir esta frase:
-Mãe, eu quero pedir para desistir de turma!
Preocupada, perguntei-lhe:
-O que é que aconteceu?
-Os meus colegas estão sempre a portar-se mal! O professor é tão querido e eles estão sempre a gozar com ele!
-Mas o que é que eles fizeram?
-Estão sempre a portar-se mal e a gozar com o professor!
É sempre difícil arrancar a história toda ao J, tem que ser a saca-rolhas ou então não sai nada.
-E o professor o que fez?
-Ficou triste! Quero desistir de turma!
-Não dá para mudares de turma, mas podes dizer aos teus colegas para não se portarem tão mal, se o professor é querido, deviam portar-se ainda melhor nas aulas dele.
-Mas eles não se portam e gozam com ele!
-Às vezes, os miúdos são um bocadinho assim, em vez de aproveitarem as pessoas mais fixes e tratarem-nas bem, fazem o contrário e abusam delas por serem simpáticas. Se mudasses de turma, isso também ia acontecer na outra turma, porque há pessoas assim em todo o lado, mas podes sempre dizer-lhes é que era melhor tratarem bem as pessoas mais simpáticas para elas se sentirem bem e continuarem a ser simpáticas.
-Mas eles não me ligam. Eles são maus!
-Eles não são maus, só ainda não percebem é que melhor serem queridos com as pessoas que são queridas para eles.
Ele estava tão decepcionado que eu já não sabia o que lhe havia de dizer mais...

Pois é, meu filho, estas são as primeiras de muitas decepções que vais ter com as pessoas (claro que não lhe disse isto, mas pensei).

Comentários

  1. Como o compreendo... passei pelo mesmo no meu 10.º ano, tinha um professor de português que era uma jóia de professor e tinha um amor desmesurado à profissão e à língua portuguesa e ensinava como ninguém, mas era alvo de gozo e de piadas de extremo mau gosto! Havia dias que eu sentia-me pior ainda do que ele, quando lhe via a tristeza estampada no rosto...
    Realmente, o teu filhote vai ter que lidar com este tipo de decepções ao longo da vida... por isso, já vou dizendo ao meu que a vida nem sempre é fácil...

    ResponderEliminar
  2. Naná,
    Porque será que isto acontece tantas vezes? Porque será que as pessoas que são mais afáveis e menos rígidas acabam sempre por sofrer injustiças e abusos?
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Que fofo o teu filho! Infelizmente tens razão, esta é a primeira de muitas decepções com as pessoas :(

    ResponderEliminar
  4. Mammy, a bondade e o bom feitio são por vezes e infelizmente encarados como pontos fracos passíveis de ser explorados por pessoas que não sabem o que significa "respeito". Eu tenho adolescentes assim, como alunos. Felizmente, são uma pequena minoria a quem já não mostro qualquer sorriso, como no início do ano lectivo. Limito-me a ser educada e a ensinar a minha disciplina. Noutras turmas, faço mais do que isso e dá-me um gozo tremendo!

    ResponderEliminar
  5. Fez me lembrar a minha filha mais velha... sempre tao correcta e justa... essas crianças sofrem muito devido à sua sensibilidade... está atenta (nem precisava de te dizer, tu és uma mae atenta)

    beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Anita no Facebook

O Facebook anda a fazer-me mal. O chato é que preciso daquilo como ferramenta de trabalho e acaba por ser difícil desligar de vez ou até fazer um intervalinho com fins terapêuticos.
Ultimamente, ando tão farta de por ali andar que já tudo me parece os livros da Anita.
Antes do Verão: Anita corre quilómetros para caber no biquíni
Em férias:  Anita mete o pezinho na areia e o nariz no mar
Em dias de sol: Anita vai à esplanada com as amigas e diverte-se a potes
No fim das férias:  Anita volta para o trabalho chateadíssima, mas, pronto, a vida é assim e tem que trabalhar
À hora das refeições:  Anita cozinha um delicioso jantar cheio de super-alimentos e de baixas calorias ou  Anita vai almoçar a um sítio todo fashion, come imenso marisco e bebe sangria de champagne
Tarde de sábado:  Anita vai a uma exposição qualquer interessantíssima ou Anita sai à rua e vê as pessoas a passar
Sábado à noite:  Anita dança e bebe gin 
Tarde de domingo:  Anita vê um filme com a família ou Anita tem umas flores lindas…

Ler e escrever

Há uma candura e uma vontade de regressar à infância de quem lê e escreve. Ler, e escrever, vai para lá do que é o real. Leva-nos para um mundo imaginário, conduzido por quem escreve, mas só nosso, tão pessoal. Talvez por isso, ler e escrever sejam estreitos encontros com a solidão...

Quando se lê um livro, mergulha-se numa dimensão à parte. Trilha-se um caminho de ficção e trilha-se outro que só existe no nosso interior. Percorrem-se as dúvidas e as certezas, os sonhos e a realidade, como se fossem sempre tão próximos. Parte-se da fantasia para a existência, sem nunca se sair completamente de dentro de nós.
Ler, e escrever, é uma viagem ao tempo em que a imaginação nos comandava as emoções. É explorar o quarto escuro que nos apavorava ou os jardins que nos deslumbravam. É ir, e não voltar, aos lugares onde nos sentíamos sós e incompletos, mas ao mesmo tempo cheios de desconhecimento, inocência e ilusão.
Ler, e escrever, é um exercício egoísta, em que não cabe lá mais ninguém para além d…