Avançar para o conteúdo principal

Desatino

Pai e filho tiveram desatino dos grandes, com direito a zanga e castigo. Mãe reteve-se na cozinha, que é o seu lugar. (Brincadeirinha, alguma vez, sou mulher do meu lugar ser a cozinha?!). Mas fiquei na cozinha, para não interferir e deixar o galo e o galinho entenderem-se sozinhos.

Pai foi para reunião de condomínio, mãe foi deitar filho.
Filho diz à mãe:
-Ainda bem que foste tu a vir deitar-me. Eu e o pai zangámo-nos.
-Eu sei.
-Quem é que tu achas que teve razão?
-O pai.
-Porquê?
-Porque tu, às vezes, não ouves o que te dizemos e precisas estar mais atento. Porque se te dizemos para ires lavar os dentes, para ires fazer xixi ou cocó, é para ires logo!
-Mas vocês nunca me dizem para ir fazer xixi...

És tramado, és!

Comentários

  1. Parece as minhas conversas com o meu filho. Nunca faz as coisas no momento e depois alega que se esqueceu, o espertinho :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. São tão especiais, estes piolhos! :)
    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Eles têm com cada resposta, aposto que ficaste a pensar no que responder?

    ResponderEliminar
  4. great post!!! nice blog!!! following you now.. hope you could visit my blog too.. kissess!!!

    ResponderEliminar
  5. great post!!! nice blog!!! following you now.. hope you could visit my blog too.. kissess!!!

    ResponderEliminar
  6. reat post!!! nice blog!!! following you now.. hope you could visit my blog too.. kissess!!!

    ResponderEliminar
  7. Ana,
    Eles são terríveis e uns espertalhões!
    ;)
    Bjs

    Benedita,
    Ainda bem!
    ;)
    Bjs

    Tanita,
    Até gaguejei!
    Bjs

    Dina,
    Thank you! I will!
    Kisses

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

O Pintas

Estudei Gestão Equina numa terra no centro de Portugal.
A escola dividia-se entre uma antiga escola, no centro da aldeia, convertida em internato masculino e salas de aulas e uma herdade a uns setecentos ou oitocentos metros já quase fora da localidade.
Os alunos tinham aulas ora na escola, ora na herdade e seguiam geralmente a pé de um lado para o outro.
Um dia, o Pintas apareceu por lá (já não me lembro bem onde o encontrámos pela primeira vez), um cão talvez arraçado de dálmata, pois era branco com pintas negras.
Deram-lhe o nome de "Pintas", mas havia quem o chamasse de "Beethoven". Na verdade, podiam chamá-lo como quisessem que o cão reconhecia quando a conversa era com ele.
O Pintas fazia o caminho herdade/escola e escola/herdade vezes sem conta. Penso que a intenção era acompanhar os seus amigos preferidos no caminho que separava as duas instalações escolares... Seguia a nosso lado como se fosse mais um aluno. Deixava-nos na herdade e seguia de novo para a …