Avançar para o conteúdo principal

Gatices

Já não bastava ter o J. doente e, agora, o gato resolveu imitá-lo... 
Está com uma infecção urinária e arranjou, uma tourada para tomar os medicamentos, mas nesta tourada, o touro fui eu que saí cheia de bandarilhas nas mãos! &%$//)(%=)(&#"!#"!#%$!!!!

Lá tive eu que por esta cabecinha loira a funcionar e tentar usar a minha "superioridade" intelectual para o enganar...

Tomou ou não tomou os medicamentos?

Tomou pois! Bem misturados na sua comidinha favorita, comeu tudo e até limpou o prato!!!
Eu -1 Gato-0
Eh, eh, eh!!!!

(Como devem imaginar, tenho andado a frequentar um estágio de enfermagem, aqui em casa... Medicamento ao filho, medicamento ao gato, ver febre ao filho, ver xixi do gato, preparar comida de um, preparar comida do outro, enfim, preocupações e trabalhinhos extra que eu dispensava com todo o gosto!)

Comentários

  1. Oh querida, as meloras rápidas do teu menino e do gato também. Bom domingo na medida do possivel. Bj**

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Tanita!
    Beijinhos e um bom domingo para ti também!
    :)

    ResponderEliminar
  3. Ahahahah eu também ja desisiti de imitar os veterinarios quando eles lhes abrem a boca com uma facilidade e lhes enfiam os comprimidas pela boca dentro é mais pacifico misturar los com comida caseira a minha cadela até lambe os beiços :)


    beijinho

    ResponderEliminar
  4. Felina,
    Eu acho que eles só conseguem por causa do efeito surpresa... Apanham-nos distraídos, fora do seu ambiente e truca, já está!
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Esqueci uma coisa muito mas muito importante... as melhoras para o filhote e para o felino


    beijinho

    ResponderEliminar
  6. Obrigada, Felina!
    Já estão melhores...
    Bjs

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

O Pintas

Estudei Gestão Equina numa terra no centro de Portugal.
A escola dividia-se entre uma antiga escola, no centro da aldeia, convertida em internato masculino e salas de aulas e uma herdade a uns setecentos ou oitocentos metros já quase fora da localidade.
Os alunos tinham aulas ora na escola, ora na herdade e seguiam geralmente a pé de um lado para o outro.
Um dia, o Pintas apareceu por lá (já não me lembro bem onde o encontrámos pela primeira vez), um cão talvez arraçado de dálmata, pois era branco com pintas negras.
Deram-lhe o nome de "Pintas", mas havia quem o chamasse de "Beethoven". Na verdade, podiam chamá-lo como quisessem que o cão reconhecia quando a conversa era com ele.
O Pintas fazia o caminho herdade/escola e escola/herdade vezes sem conta. Penso que a intenção era acompanhar os seus amigos preferidos no caminho que separava as duas instalações escolares... Seguia a nosso lado como se fosse mais um aluno. Deixava-nos na herdade e seguia de novo para a …