Avançar para o conteúdo principal

A Língua do Michael Jordan

O ídolo
(imagem retirada da Internet)
Um dia destes, enquanto assistia a um treino do meu filho, reparo que ele está sempre de língua de fora...
Ele não é daqueles miúdos que põem a língua de fora quando escrevem ou quando fazem qualquer coisa que lhes exija um pouco mais de concentração, por isso estranhei!
No intervalo que o treinador lhes dá para irem beber água, ele chega-se ao pé de mim e diz:
-Viste, mãe, estive de língua de fora como o Michael Jordan?
(Para quem não conhece, o Michael Jordan, o mocinho aqui ao lado, foi um dos melhores jogadores de basquetebol do mundo e uma das suas características era jogar com a língua de fora.)

O meu filho estava todo orgulhoso a imitar o Michael Jordan, sentia-se o melhor jogador do mundo à custa da sua linguinha ao vento, mas eu (estúpida!) estraguei a sua alegria, com esta minha triste saída:
-Pois, mas se não pões a língua para dentro ainda a mordes se te derem um encontrão, além de pareceres um tontinho...

Arrependi-me da parte do tontinho, não era necessária, ele teria percebido a mensagem se eu não a tivesse dito... 

Ao que ele me respondeu com um ar, um tanto ou quanto, assustado e desiludido:
-Pronto, agora ponho a língua para dentro!

Por vezes, esta mãe não tem mesmo tento na língua...

Comentários

  1. Pois eu sempre pus a língua de fora quando escrevo, quando faço trabalhos manuais e coisas que quero fazer bem... tal como o meu pai quando conduzia e cavava a terra!
    Deixa lá, ele depois vai perceber que estavas a tentar evitar que ele se magoasse...

    ResponderEliminar
  2. ÓH lá lhe estragaste o sonho de fazer igualzinho ao idolo. Não podemos ser perfeitas certo? mas mães seremos sempre e queremos o melhor para eles. Bj**

    ResponderEliminar
  3. Deixa lá... depressa se esquece e vai valorizar encestar tão bem como o Michael Jordan ou como o Scottie Pippen...
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Puuutzzzz, acabou com o menino...tadinho....
    Meldels....eu já fiz isso, mas sorte minha que não era minha mãe que notou, havia sido um amigo meu que sabia do Jordan....
    Caso fosse minha mãe, acho que teria a mesma reação kkkkk

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Estamos a matar a infância das nossas crianças!

Se há cerca de vinte, trinta anos, não se sabia tanto quanto se sabe hoje sobre pedagogia, psicologia ou educação, actualmente este conhecimento é muito mais vasto. Tão vasto que tendemos a instrumentalizar a forma como educamos as nossas crianças.

Olhamos para os nosso filhos e vemo-los como projectos pessoais. Queremos que sejam os melhores e sempre melhores que eles próprios, que estejam sempre a evoluir para que sejam bem sucedidos na vida. É normal, porque independentemente das nossas crenças, queremos o melhor para eles, porque os amamos. Mas esta forma de amar e de os tentar conduzir para o sucesso está a matar-lhes a infância. 
Não são poucas as vezes que ouvimos coisas do género:  "Quero que o Rui seja um óptimo engenheiro";  "Estou a fazer tudo para que a Ana seja a melhor professora que já leccionou";  "O que mais quero é que o André vença no mundo do trabalho como o melhor designer gráfico".
Também dizemos que A ou B tem que frequentar determi…