Avançar para o conteúdo principal

Pessoas

É verdade, esta história de se ser mãe não é nada fácil, não só porque temos que dar o nosso melhor na educação dos filhos, mas também porque temos que lidar com uma grande variedade de pessoas que interagem com eles.

Quando nos deparamos com alguém que não se segue pelos mesmos padrões educativos que nós, a coisa fica muito complicada e piora quando essa pessoa têm um papel importante na formação dos pequenotes.

Assisti a uma dose de ressentimentos, expelidos por uma boca cheia de incompreensão do que eu sou enquanto mãe, convencida que estava repleta de sapiência ...

É doloroso para uma mãe, que se esforça tanto por gerir os elogios que dá a um filho, para que este não perca a auto-estima, com os desapontamentos que ele tem que viver para que se torne mais forte, ouvir dizer que é aquele tipo de mãe permissivo ao ponto de estar criar um pequeno ditador. Ainda mais, quando a pessoa que profere estas palavras não sabe do que está a falar por, simplesmente, se negar a tentar perceber a complexidade da situação em que a mãe teve que colocar o filhote debaixo da asa.

As regras existem dentro desta casa desde sempre e têm uma importância tal, que tivemos que as tornar mais flexíveis, pois estavam a carregar o meu filho de frustração ao ponto de ele explodir à mínima contrariedade e o estarem a tornar numa criança triste. No entanto, elas não deixaram de existir, continuam a ser as directrizes para um crescimento saudável e a ser respeitadas criteriosamente, apenas adquirindo uma maior margem de manobra.

O meu filho é das crianças mais respeitadoras das regras instituídas, ao ponto de respeitar uma dieta equilibrada mesmo quando lhe damos a oportunidade de dar uma "facadinha" na mesma e apesar de adorar doces e guloseimas. No entanto, só respeita as regras que lhe são explicadas. A autoridade isolada, sem uma explicação plausível não faz nele qualquer efeito a não ser aumentar-lhe os maus comportamentos e torná-lo frustrado e incontrolável por pessoas que lhe inspiram medo em vez de respeito.

Quando uma pessoa se quer dar ao respeito através do medo, em vez de ser através do próprio respeito (tanto o que exige aos outros como o que nutre pelos outros) está condenada ao fracasso. A incompreensão deste facto torna-a ainda mais vulnerável e, ao mínimo deslize, é derrubada do pedestal em que deliberadamente se coloca.

Quando uma pessoa destas nos julga por respeitarmos as fragilidades do nosso filho, é penoso e é-o, sobretudo, quando percebemos que por mais que lhe expliquemos, nunca nos vai entender ...


Mensagens populares deste blogue

Macacos do Nariz

O J. voltou a perguntar qual era o verdadeiro nome dos macacos do nariz e, uma vez mais, não lhe soubemos responder.
O pai tentou: -Detritos nasais!
Eu tentei: -Fluídos nasais secos!
As nossas tentativas não satisfizeram nenhum de nós três ...  O J. diz: -Temos que perguntar à Drª, como ela é médica deve saber ...
Fiquei a pensar onde poderia encontrar a resposta a esta questão sem ter que perguntar à médica ... 
Consultei a enciclopédia, o dicionário, procurei na net e ... nada, nem a mais pequena referência à designação científica para macacos do nariz ...

Confesso que nunca me tinha passado pela cabeça que os macacos do nariz tinham outro nome ...

As coisas em que este miúdo me põe a pensar ...

Este blogue vai descansar uns diazinhos, mas volta, com a maior brevidade possível!


Anita no Facebook

O Facebook anda a fazer-me mal. O chato é que preciso daquilo como ferramenta de trabalho e acaba por ser difícil desligar de vez ou até fazer um intervalinho com fins terapêuticos.
Ultimamente, ando tão farta de por ali andar que já tudo me parece os livros da Anita.
Antes do Verão: Anita corre quilómetros para caber no biquíni
Em férias:  Anita mete o pezinho na areia e o nariz no mar
Em dias de sol: Anita vai à esplanada com as amigas e diverte-se a potes
No fim das férias:  Anita volta para o trabalho chateadíssima, mas, pronto, a vida é assim e tem que trabalhar
À hora das refeições:  Anita cozinha um delicioso jantar cheio de super-alimentos e de baixas calorias ou  Anita vai almoçar a um sítio todo fashion, come imenso marisco e bebe sangria de champagne
Tarde de sábado:  Anita vai a uma exposição qualquer interessantíssima ou Anita sai à rua e vê as pessoas a passar
Sábado à noite:  Anita dança e bebe gin 
Tarde de domingo:  Anita vê um filme com a família ou Anita tem umas flores lindas…