Avançar para o conteúdo principal

"Ma" Man

Se há pessoa que admiro, é este homem com quem um dia me casei. E casámo-nos, vai fazer depois de amanhã, 5 anos, após 10 anos de namoro. E só nos casámos por questões legais, porque se fosse por amor, não precisaríamos do casamento para o provar.
Eu estava a viver o meu problema oncológico, já tínhamos o J. e achámos melhor regularizar a situação, caso eu partisse desta para melhor (ou pior).
Nunca precisámos do casamento, ou de alianças, ou de frases feitas que soam bonitas, mas nada dizem, para termos a certeza que nos amávamos. Claro que tivemos e temos as nossas zangas, dúvidas e choques de personalidade, mas ao fim de tantos anos, posso dizer que as fomos conseguindo resolver, não só superficialmente, mas também e especialmente dentro de nós.
Ele foi e continua a ser a minha outra face, a minha alma gémea, aquele que me completa e sem o qual eu não seria como sou hoje. Ao longo de tantos anos, fomos aprendendo um com o outro e, acho eu, que o conseguimos devido ao respeito que temos pela individualidade de cada um. Nunca tentámos mudar o outro, nem nos moldámos ao seu ideal. Fomos sempre as duas faces da mesma moeda!

Este homem com quem vivo há, mais coisa menos coisa, do que 15 anos, é o homem da minha vida. Tenho a certeza disso, porque eu não encontraria outro alguém em quem me encaixasse com tanta perfeição. Ele distingue-se por uma originalidade estonteante, tanto pelo humor, que lhe é tão característico, como pela veracidade de carácter, não deixando, porém, de ter os seus defeitos que tanto me arreliam, como a teimosia, a distracção e o perfeccionismo levado ao extremo da exaustão.

Por todos estes motivos e mais alguns, posso dizer que sou uma privilegiada, porque tenho ao meu lado quem queria ter e como queria ter e, para mim, o amor é isto! 

Comentários

Mensagens populares deste blogue