Avançar para o conteúdo principal

Céu

Adoro o céu! É aquela personagem que está sempre presente na minha história, para a qual olho e sinto qualquer coisa de muito forte. O céu persegue-me e eu a ele, sempre. Como pessoa temperamental que sou, deixo que seja ele a ditar o meu estado de espírito diariamente e tanto me dá conforto e segurança, como me dá uma irritação terrível.

Não pensem que isto tem alguma conotação religiosa, até porque eu não tenho religião, nem sequer acredito em Deus ou Deuses. Respeito as crenças dos outros, porque acredito que elas lhes dão força para enfrentarem as coisas da vida e porque é um direito de cada um ir buscar forças onde bem entender. Porém, eu não acredito, que se houvesse um Deus ou Deuses, ele(s) permitiria(m) tanta injustiça, como a que há neste mundo.
Desculpem-me os mais crentes, que dirão que a injustiça faz parte do ensinamento de Deus, mas isso é uma treta! Se existisse um Deus todo-poderoso, ele já teria percebido que a altura de mudar de estratégia já tinha chegado, há muito tempo, pois esta não tem dado grandes resultados. Continua a haver guerra, fome, miséria, doenças cruéis e uma data de sacanas impunes. Há gente boa a sofrer p'ra caraças e má com uma vidinha maravilhosa! O castigo está depois da morte? O quê, vão para o paraíso ou para inferno? Que interesse tem ir para o paraíso, depois de se viver o inferno aqui na terra, ou vice-versa? A única vida que sabemos real é esta e é esta que temos que viver o melhor possível, senão nem sequer vale a pena estarmos aqui...
Atenção, não estou, de maneira nenhuma, a enxovalhar as vossas ideias religiosas, como já disse, respeito-as profundamente, mas como as respeito, peço-vos que respeitem a minha descrença e o meu ateísmo!

Poderão dizer-me "quando estiveres em apuros, vais ver se não vais rezar!". Já estive em apuros várias vezes e rezei, fiz mesinhas e tudo o mais que se faz quando se está, realmente, em apuros! Mas continuo a não acreditar que quem me salvou foi Deus ou o Diabo! Acredito no acaso, tanto para as coisas más como para as boas e acredito que nós podemos ter alguma mão nele. Para mim, a vida é constituída por uma quantidade de acontecimentos aleatórios, cuja resolução está na capacidade que temos em lidar com eles. Se lidamos bem, somos felizes; se não lidamos bem, somos uns tristes que se arrastam perante as dificuldades, que se queixam por tudo e por nada e não vivem. E depois da morte? Depois da morte, tudo acabou! Se houver alguma coisa que se lhe segue, nessa altura, preocupamo-nos com isso, pois de nada vale, sofrer por antecipação...

Voltando ao meu céu adorado, que é por ele que hoje escrevo, se mo tirassem, tenho a certeza que morreria... O céu azul, cinzento, negro, com sol, com nuvens, chuva, neve ou estrelas, não pode estar nunca ausente, pois é ele que me tem acompanhado nestes caminhos sinuosos da vida e me tem abraçado com a sua imensidão, sempre que preciso. É a ele, que através de um breve olhar, vou buscar a minha disposição do dia e a forma com que lido com os acontecimentos que me esperam. Se ele não estivesse lá, eu não saberia como viver, não teria aquela disposição, naquele momento, nem agiria daquela maneira naquele instante. Não pretendo com isto dizer, que tenho sempre a atitude certa, mas independentemente de certa ou errada, é a minha maneira de agir e é essa forma de actuar que determina o que sou hoje e o que serei amanhã e, a pouco e pouco, me vai definindo enquanto pessoa.


Comentários

  1. A sua relação com o céu é semelhante à minha com o mar...
    Todos nós citamos Deus com muita frequência: "até amanhã se Deus quiser", "Deus te valha que estragaste tudo", ... por uma questão cultural, mas isso não significa que acreditemos que haja um Deus todo-poderoso, omnisciente, omnipresente, blá, blá,blá,...porque se existisse seria um Deus de bondade e não um Deus cruel, como se comprova com todos os males que se observam por todo o Mundo.
    Mas cito o que oiço muito: "abençoados os que acreditam"! São pessoas (desde que não caiam nas mãos do fanatismo)que procuram ser melhores, que sentem paz interior nessa busca, o nesse amor, por um ente que consideram superior.
    Abracinho meu!

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que não sou a única a olhar o céu
    kis :=) BFSEMANA

    ResponderEliminar
  3. Maria Teresa,
    Concordo contigo quando dizes " abençoados os que acreditam"! São pessoas (desde que não caiam nas mãos do fanatismo)que procuram ser melhores, que sentem paz interior nessa busca, o nesse amor, por um ente que consideram superior".
    É mesmo essa a minha opinião!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. :)
    eu sem o céu tb morreria.
    a natureza sp tão maravilhosa e surpreendente!!
    :)
    sou nv aki,mas gostei mt do teu blog.
    Bjnhs***
    Manuela

    ResponderEliminar
  5. Manu World

    Bem vinda a este cantinho!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. :)
    bigaduuuu***
    tb podes visitar os meus cantinhuz sp e se k kiseres***
    Manu
    (Posso te tratar por tu? :) )

    ResponderEliminar
  7. Claro, que sim para: "tratar por tu" e ir visitar os teus cantinhos.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...

Mensagens populares deste blogue

Anita no Facebook

O Facebook anda a fazer-me mal. O chato é que preciso daquilo como ferramenta de trabalho e acaba por ser difícil desligar de vez ou até fazer um intervalinho com fins terapêuticos.
Ultimamente, ando tão farta de por ali andar que já tudo me parece os livros da Anita.
Antes do Verão: Anita corre quilómetros para caber no biquíni
Em férias:  Anita mete o pezinho na areia e o nariz no mar
Em dias de sol: Anita vai à esplanada com as amigas e diverte-se a potes
No fim das férias:  Anita volta para o trabalho chateadíssima, mas, pronto, a vida é assim e tem que trabalhar
À hora das refeições:  Anita cozinha um delicioso jantar cheio de super-alimentos e de baixas calorias ou  Anita vai almoçar a um sítio todo fashion, come imenso marisco e bebe sangria de champagne
Tarde de sábado:  Anita vai a uma exposição qualquer interessantíssima ou Anita sai à rua e vê as pessoas a passar
Sábado à noite:  Anita dança e bebe gin 
Tarde de domingo:  Anita vê um filme com a família ou Anita tem umas flores lindas…

Ler e escrever

Há uma candura e uma vontade de regressar à infância de quem lê e escreve. Ler, e escrever, vai para lá do que é o real. Leva-nos para um mundo imaginário, conduzido por quem escreve, mas só nosso, tão pessoal. Talvez por isso, ler e escrever sejam estreitos encontros com a solidão...

Quando se lê um livro, mergulha-se numa dimensão à parte. Trilha-se um caminho de ficção e trilha-se outro que só existe no nosso interior. Percorrem-se as dúvidas e as certezas, os sonhos e a realidade, como se fossem sempre tão próximos. Parte-se da fantasia para a existência, sem nunca se sair completamente de dentro de nós.
Ler, e escrever, é uma viagem ao tempo em que a imaginação nos comandava as emoções. É explorar o quarto escuro que nos apavorava ou os jardins que nos deslumbravam. É ir, e não voltar, aos lugares onde nos sentíamos sós e incompletos, mas ao mesmo tempo cheios de desconhecimento, inocência e ilusão.
Ler, e escrever, é um exercício egoísta, em que não cabe lá mais ninguém para além d…