quinta-feira, 13 de abril de 2017

Portei-me bem, não portei, mãe?

No dia de aniversário da minha avó é costume encontrar-me com os meus tios e primos e, agora, com os filhos dos meus primos.
No ano passado, como de costume, encontrámo-nos em casa da minha avó para festejarmos os seus 79 anos. 
O meu filho é o mais velho das crianças e raramente vê os filhos dos meus primos, por isso andou por lá numa brincadeira pegada com eles.
No final da noite, quando vínhamos embora, diz:
- Portei-me bem, não portei, mãe?
- Sim, portaste. Porque perguntas isso?
- Eh eh eh! Porque pus os putos todos a brincar à porrada!

sábado, 8 de abril de 2017

Os bichos

Tenho bichos nos dedos. Uma necessidade premente de escrever não me deixa sossegar.
Tenho bichos que me fazem cócegas no cérebro. Tenho o cérebro cheio de bichos! Ideias que saltam, pensamentos que se atiram contra o vazio... O meu vazio é cheio de minhoquinhas irrequietas. Enquanto não as despejo (a elas, às ideias e aos pensamentos) este vazio parece infinito.

Só digo parvoíces, não é? Pelos menos já mexi os dedos e agitei o cérebro e consegui livrar-me de alguns dos bichos...
Agora já posso ir dormir um pouco mais tranquila.
Boa noite, bicharada!