domingo, 20 de março de 2016

O amor aloja-se ali no fundo da alma e não dorme

O sentimento adensa-se com o passar dos anos...
A inexistência de um cordão umbilical e de uma ligação pelas entranhas, não é barreira ao amor. O amor não está num punhado de veias e artérias, nem nos nutrientes que por elas circulam.
Ah, o amor ligado ao coração e ao sangue e ao pulsar mecânico que bombeia um órgão...
O amor mora no peito, ou na barriga, ou nos joelhos. O amor mora onde quisermos, mas mora tão fundo que trespassa qualquer corpo. Está infiltrado na alma, nessa massa estranha e transparente a que chamamos "alma". O amor aloja-se ali no fundo da alma e não dorme. Vive ali apenas... Expande-se até à pele ou corrói-nos até os ossos, depende da alegria ou da dor com que nos enche.
E enche-nos E corrói-nos. E corrói-nos. E enche-nos. E o cordão umbilical não faz falta, sempre que o amor mora em qualquer lugar na alma. Na alma de uma mãe ou na alma de um pai. Na alma apenas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...