segunda-feira, 20 de abril de 2015

#2 Excertos de Uma Coisa Qualquer

Começou por correr devagar e foi acelerando o passo a cada minuto. Os óculos serviam de barreira ao vento que soprava cada vez mais forte e empurrava-lhe os cabelos para trás. Aproveitava a corrida para apreciar a paisagem e rever a vida. As férias ainda mantinham uma presença viva na memória. A namorada a bater com a porta do quarto de hotel e a dizer que não o queria voltar a ver ecoava-lhe na mente.  Cada passada era o bater daquela porta e a sensação de abandono que o seguira. Tentava, em vão, que a aceleração da corrida empurrasse aquela solidão para trás das costas.
Em vão.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...