quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Pílula da Estupidez

Detesto ideias preconcebidas e generalizações.
Ou é para me irritar ou não sei porque raio de carga de água é que é o que mais há por aí.
Gente que pensa que, lá porque dois ou três cromos passaram a professar umas teorias da treta como se fossem religião, tudo o que não seja dito pelos cromos é pura alucinação, e que tem sempre pronta uma pílula de uma ideia qualquer que está na moda e de que toda a gente já ouviu falar milhentas vezes, deixa-me para lá de enervada. Dá-me vontade de lhes enfiar a própria pílula pelas goelas abaixo e perguntar "então, estás muito mudado? A pílula fez-te melhorar alguma coisinha? Népia, pá, continuas o mesmo otário!".
Dá-me a impressão que ando rodeada de papagaios que papagueiam todas as patacoadas que lhes impingem.
Ei, pessoal, e usar a cabecinha, hã? E deixar de engolir toda e qualquer informação como se fossem verdades universais sem sequer as processarem?
O cérebro está lá para alguma coisa, não serve só para memorizar, também se pode usar para destrinçar aquilo que é verdadeiro daquilo que é falso; Para separar o trigo do joio; Para deitar fora aquilo que não presta e reter o que interessa; Para descobrir os diamantes no meio da areia.

Fiz-me entender ou querem que faça um desenho? Hã?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...