quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Pégaso

Sonhei com a minha égua. No sonho, ela estava morta, deitada debaixo de um oleado há quinze dias e de repente mexeu-se. De repente, estava viva outra vez. O meu coração saltou de felicidade, mas a dúvida, a incompreensão de como aquilo tinha sido possível não parou de me importunar. Acordei. 
Passei o resto da noite a tentar continuar aquele sonho. Queria-a viva mais um bocadinho, mas não a consegui segurar no sonho.
Ela virou costas, e voou. Outra vez.

DAQUI

Sem comentários:

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...