terça-feira, 27 de maio de 2014

Cancro no Cabelo

Já o J. estava na cama, digo-lhe:
- Olha, vou deixar aqui na tua mesa, ao lado do saco do treino, um saco para a avó levar amanhã. Por isso, não te espantes quando o vires.
- Um saco? O que é que tem?
- É a minha cabeleira para a avó levar.
- Para que é que ela quer a tua cabeleira?
- Para dar à I.
- A I. também tem cancro? E quer a tua cabeleira?
- Tem. A cabeleira é para ela ver se quer e se gosta.
- Porra, mãe, tanta gente tem cancro!
- Pois é, é mesmo muita gente.
- E é sempre no cabelo...
- Não é no cabelo, é noutros sítios, mas muitas pessoas ficam sem cabelo. 
- Porque é que o cancro faz cair o cabelo?
- Não é o cancro que faz cair o cabelo, é um medicamento para matar o cancro.
- Ah, então se a pessoa cortar o cabelo todo, deixa de ter cancro?!
- Não, J., a pessoa não fica boa por ficar sem cabelo. A pessoa fica boa porque o medicamento que faz cair o cabelo, mata o cancro.
- E se a pessoa não tomar esse medicamento?
- Morre. Pode morrer...
- Não há outros medicamentos?
- Agora já descobriram outros, mas há cancros em que ainda só este é que funciona.
- No outro dia, vi o T.A.. Ele anda sempre de gorro na cabeça. Também tem cancro, não tem?
- Tem.
- Porque é que ele está sempre de gorro? Não gosta de se ver sem cabelo?
- Provavelmente... Ou então tem frio na cabeça. Como ele tinha o cabelo grande, é capaz de ser por causa do frio. As pessoas que não estão habituadas a ter o cabelo curto, quando o cortam, ficam com frio na cabeça.
- Ah! 
- Boa noite, menino, dorme que já é tarde. Dorme bem!
- Boa noite, mãe! Até amanhã!

2 comentários:

  1. :(
    Infelizmente também já vivi essa realidade de perto.
    Força!

    ResponderEliminar
  2. P.A. Santos,

    Obrigada!
    O que aconteceu ao teu blogue? Tentei ir lá hoje, mas diz que foi removido.
    Bjs

    ResponderEliminar

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...