sexta-feira, 26 de abril de 2013

Gente Estranha

Gente estranha 1
Estávamos sentados, eu e o pai do J., na sala de espera do hospital e eis que chega um casal com dois filhos. 
A mãe das crianças senta o mais pequeno (de mais ou menos quatro anos) numa cadeira e diz:
- Agora ficas aí sentado! Se te atreveres a levantar, parto-te os dentes todos!
Dois segundos depois, o pai da criança pega-lhe na mão e diz:
- Anda, vamos lá para fora que está mais fresquinho!
A mãe não lhe partiu os dentes (pelos menos naquele momento). 
Pareceu-me que a criança não entendeu nada daquela história. 

(Eu não entendi e tenho mais trinta e tal anos do que ela).


Gente estranha 2
A andar pela rua. Quando chegámos à esquina de um prédio, vemos uma criança aparecer sozinha a correr, quase indo parar ao meio da estrada. 
Três segundos depois, aparecem os pais em passo pachorrento. O pai grita-lhe:
- Se te afastas de nós outra vez, levas um chapadão!

(Se eu fosse aquela criança, afastar-me-ia daqueles pais sempre que me fosse possível. Mas isto sou eu que sou esquisitinha).

3 comentários:

  1. No regresso das crianças da ultima visita de estudo do meu filho saiu do autocarro um dos miúdos, a mãe ao pegar-lhe no casaco (com o fecho estragado) diz:
    - tens de f*(sinónimo de estragar) sempre alguma m* (sinónimo de cocó)

    Fiquei chocada... Pelos vistos parece prática

    ResponderEliminar
  2. É a agressividade que me choca mais. Falam com desprezo... Faz-me confusão!
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Uma violência constante e gratuita sobre as crianças. Pais, adultos desajustados, amargurados, que não sabem separar águas...abusam dos mais frágeis.
    Abracinho meu

    ResponderEliminar

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...