terça-feira, 8 de novembro de 2011

A Profissão dos Filhos

Não consigo concordar com os pais que vêem os filhos como uma extensão deles próprios e querem, à viva força, que lhes sigam as pisadas ou que realizem o que eles não realizaram. Desculpem-me, mas não consigo!

Quando vejo pais que põem os filhos a jogar num qualquer clube de futebol de renome ou a inscreverem as filhas numa qualquer agência de modelos famosa, para serem o jogador de sucesso que eles não conseguiram ser ou para serem as top-models que desejariam ter sido, sinto-me revoltada pela falta de respeito que demonstram por aqueles que geraram.

Partilharmos os nossos gostos e preferências com os filhos é uma coisa. Agora, impingirmos-lhes a profissão que temos ou que queríamos ter tido é outra completamente diferente! Na minha opinião, é a nossa obrigação abrirmos-lhes os horizontes para que eles (e só eles) decidam em consciência o que querem fazer com uma vida que é deles. Abrir os horizontes é mostrarmos-lhes que existem vários caminhos e que podem optar por um ou vários conforme desejarem.

Os filhos não são nossa propriedade, são propriedade deles próprios! Podemos não concordar, podemos até achar que estão a cometer o maior dos erros ao seguirem por determinado caminho, mas este pertence-lhes e têm que ser eles encontrar as pedras e os buracos para perceberem que aquele não é o melhor percurso a seguir, ou pelo contrário, aprenderem a saltar sobre as pedras e a evitar os buracos do caminho que escolheram. A nós, só nos resta mesmo apoiá-los, aconselhá-los e confortá-los quando de nós necessitarem...

E é, quando penso nisto, que acho que este pensamento de José Saramago faz mais sentido:

"Filho é um ser que nos foi emprestado para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior acto de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente... da incerteza de estar agindo correctamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo".

3 comentários:

  1. Cobertíssima de razão!
    Os filhos não são as nossas segundas oportunidades!!!
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Concordo plenamente contigo.
    Também há pais que sonham com a fama, com a ascensão tipo meninos morangos com açucar e vá daí colocar os meninos em agências e afins.
    Temos de os apoiar e abrir caminhos, estar sempre por trás para amparar e ajudar a levantar depois de uma queda e nunca querer que sejam o que nós não o conseguimos ser.
    bj**

    ResponderEliminar
  3. Concordo totalmente...O pensamento do Saramago é sublime*

    ResponderEliminar

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...