segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Do Amor

Se o amor de uma mãe pode ser enorme, o de um filho também pode...

Acho possível amar-se incondicionalmente os nossos pais, no matter what... Independentemente, das suas personalidades, opções e objectivos de vida, erros (ou o que nós julgamos serem erros), é possível amá-los até à exaustão... 
Não é um amor exacerbado como o de mãe/pai, mas é um amor forte, poderoso, suave, tranquilo, que nos dá consolo pela sua permanência e infinidade...

Não falo do amor que reconhecemos, ou não, que nutrem por nós, mas do amor que, alguns de nós, sentimos por eles. Amar a nossa mãe e/ou o nosso pai dá-nos a certeza de um porto de abrigo no nosso próprio sentimento (sabemos que iremos amar aquela(s) pessoa(s) para sempre) e isso dá-nos a percepção que conseguimos ser infinitos, mesmo para além do termo da nossa vida...

8 comentários:

  1. Nem sei que diga. Só que aquele reizinho veio a propósito. Beijos infinitos

    ResponderEliminar
  2. Olha que sei por experiência pp, há homens bons para nós que são péssimos pais...

    ;)

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Será que posso dizer que, depende dos pais que tivermos? não sei se é amar de menos, ou apenas aprender a não amar deslamadamente...

    ResponderEliminar
  4. Fica se ligado para sempre... são as raizes do nosso próprio ser...

    No meu caso a minha mãe é a minha principal âncora... e posso dizer que tenho a melhor mãe do mundo

    beijinho

    ResponderEliminar
  5. Tanita,
    Claro que podes dizer!
    Podes até discordar plenamente comigo! Afinal, não é para isso que estes comentários servem? Para discutirmos saudavelmente os assuntos?! :)
    Mas eu concordo contigo... A nossa capacidade de amar depende muito (não só mas também) dos exemplos que tivemos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Apesar de nunca ter sentido um amor extremo de parte da minha mãe, não deixo de amar o meu filho incondicionalmente. Agora a nossa capacidade amar (excluo filhos) pode aumentar ou diminuir consoante o que recebemos.

    ResponderEliminar
  7. Este Blogue precisa de um nome,

    Provavelmente, tens razão... Talvez seja eu que tenho uma visão demasiado poética da coisa...
    ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Felina,
    A minha mãe é que é a melhor do mundo! ;)
    Eheheheh!!! Estou a brincar!
    É tão bom sentir isso, não é?

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...