quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Amigos de Longa Data

Uma das melhores coisas da vida é reencontrar um amigo de longa data! 

Há uns dias, assisti a um reencontro desses, num parque infantil!

Sim, num parque infantil!

Sim, era o reencontro entre duas crianças!

Para as crianças um ano é uma longa data! E as saudades são iguais às que nós temos dos nossos amigos de infância ou de adolescência! O amigo do infantário, ou até do berçário, é tão importante que, às vezes, lembram-no com uma espécie de nostalgia como a que reconhecemos em nós ao relembrarmos a nossas vivências do passado.

Os reencontros dão-nos, a nós e às crianças, uma sensação de reconciliação entre o que fomos e o que somos, que nos acalenta a alma e ajuda a reafirmarmo-nos enquanto seres com um passado e uma história que valida aquilo em que nos tornámos.

No entanto, os reencontros, também, podem ser um factor de desencontro, onde constatamos que o outro já não é o amigo que conhecemos, nem a pessoa de quem tanto gostávamos. Não, porque ele se tornou melhor ou pior, mas porque ambos crescemos em direcções diferentes e os pontos que nos uniam, agora separam-nos ou deixaram, apenas, de fazer sentido.

Mas quando a presença do amigo nos traz um profundo sentimento de identificação com aquela pessoa, há poucas sensações que se lhe assemelhem e vê-las espelhadas nos rostos dos infantes fez-me pensar:

Se há coisa melhor, para uma mãe, do que assistir aos momentos de felicidade dos filhos, eu ainda não a descobri ...


2 comentários:

  1. Uma mãe só é feliz se os filhos também o forem, são os unicos seres que conseguem "mandar" nas nossas vidas

    ResponderEliminar
  2. Branca e Felina, só os filhos conseguem "mandar" nas nossas vidas, porque só eles têm o poder milagroso de iluminar os nossos dias (às vezes cinzentos) com um simples sorriso!

    ResponderEliminar

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...