terça-feira, 23 de agosto de 2011

Como Cai o Pó?

Esta foi a última pergunta que me deixou de boca aberta e sem saber o que dizer: 

-Como cai o pó?

O que é que se responde a uma pergunta destas? 
O pai ainda tentou: 
-Com o vento ...  
A que obteve a seguinte observação:
- Não é como sai o pó, mas como cai em cima das coisas ...
Eu abri a boca, mas tornei a fechá-la, sem ter proferido uma única palavra ...
O pai tentou de novo:
-Vem com o vento.
-Mas como?
Eu tornei a abrir a boca, mas fechei-a de novo. No que é que eu ia falar? Nas partículas? E depois vinham mais perguntas como "o que são as partículas?" E o que é que eu respondia a isso? 

Quando dou uma resposta ao J. tenho sempre que pensar qual será a pergunta que virá a seguir à minha primeira resposta. É um ciclo vicioso, cada frase minha tem uma pergunta dele que se lhe segue. Complexo, não? 
As minhas respostas devem ser de tal maneira inequívocas que ele fique sem perguntas para fazer. É muito difícil, porque ele consegue, na maior parte das vezes, surpreender-me com questões extremamente improváveis!

Desta vez, como não sabia mesmo o que responder, tentei fazer-me de invisível. 
Por hoje, acho que resultou, porque ele já estava com bastante sono, mas amanhã sei que me esperam mais umas tantas questões do mesmo gabarito... 
Definitivamente, estou tramada!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Vá lá, digam qualquer coisinha...
...por mais tramada que seja...